Cris Silva: "Costurando meu mundo de novo" - Notícias

Versão mobile

 
 

Posso Entrar?10/12/2021 | 08h00Atualizada em 10/12/2021 | 08h00

Cris Silva: "Costurando meu mundo de novo"

Colunista traz histórias inspiradoras de vida e trabalho todas as sextas-feiras

Cris Silva: "Costurando meu mundo de novo" Agência RBS/Agência RBS
Cris Silva Foto: Agência RBS / Agência RBS

Entre tantas histórias que chegam, tenho um carinho especial quando elas envolvem mulheres que estão no processo de “reconstrução” e conseguindo dar conta, mesmo que não seja fácil – e nunca é. Soube da história de hoje por uma amiga, a Vanessa Martini, que me mandou uma mensagem: “Cris, tenho uma amiga que se divorciou, tem uma filha de oito anos e faz um trabalho lindo de produtos personalizados. Agora, está vendendo também bolinhas de Natal e se virando. Tu precisa conhecer”. 

Fui atrás, conheci e me encantei com o trabalho, mas principalmente com a força dessa mulher para reconstruir sua vida e trabalhar com o que realmente a deixa feliz. Com vocês, Mallu Deparis, 40 anos, mãe da Bia, oito anos, e proprietária da Mallu Deparis Ateliê.

Leia outras colunas da Cris Silva

SOBRE MIM

“Eu sou natural de Pinhalzinho (SC), formada em Jornalismo e atuei por 20 anos no ramo. Trabalhei em rádio, jornal e na área publicitária. Montei um jornal e uma agência aos 19 anos, sai do quadro societário em 2015. Quando minha filha nasceu, passei a desbravar novos horizontes e, em visita a uma amiga que vende máquinas de costura, comprei uma na brincadeira e me apaixonei. Aprendi a costurar sozinha e fui explorando o mundo criativo, que é muito grande.” 

FOI ASSIM

“Sempre fui muito apaixonada por Jornalismo, mas, quando minha filha nasceu, comecei a me questionar se realmente ainda amava o que eu fazia. Viajava duas vezes ao mês, ficava uma semana em Pinhalzinho (onde era a empresa) e uma aqui em Porto Alegre. Aos poucos, fui perdendo o interesse e descobrindo novos talentos.” 

NÃO CABIA MAIS EM MIM

“Quando decidi vender a empresa e investir no mundo criativo, tive apoio de duas pessoas em especial: a Vanessa Martini e a Rafaela Zanella, que descobriu meu trabalho por amigas em comum. Na época, minha família teve dificuldades em aceitar que eu iria largar a área da comunicação, na qual era bem-sucedida, para ser costureira. A arte e a criatividade sempre estiveram em minha vida. Sempre gostei muito de criar, desenvolver e ver a coisa acontecer. E foi assim que nasceu minha outra empresa, a Mallu Deparis Ateliê. Meu negócio é produzir produtos e presentes personalizados que demonstrem afeto e personalidade.”

conheci e me encantei com o trabalho, mas principalmente com a força dessa mulher para reconstruir sua vida e trabalhar com o que realmente a deixa feliz. Com vocês, Mallu Deparis, 40 anos, mãe da Bia, oito anos, e proprietária da Mallu Deparis Ateliê.<!-- NICAID(14963364) -->
Paixão pela costuraFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

APOIO

“Me divorciei recentemente e me questionei, por vários momentos, se daria conta de tudo. Minha vida virou de cabeça para baixo, mas consegui suprir todas as necessidades e entendi que, sim, uma pessoa com proposito dá conta, sempre dá conta. Hoje, tenho apoio de muitas pessoas, clientes e amigas, de mulheres que se ajudam e compartilham. Mulheres que levantam umas as outras.”

MUITO ORGULHO

“Acredito que a visão que as pessoas têm de um trabalho artesanal, manual, ainda é muito distorcida. O questionamento que mais recebo é: ‘Mas o que você faz além disso? Com o que você trabalha além disso?’. Esse é meu trabalho, e sinto o maior orgulho disso.”

DAQUI PRA FRENTE

“Agradeço o afeto e o carinho da grande maioria das minhas clientes. É como se fosse uma aliança entre mulheres que faz com que ganhemos força e coragem. Tenho planos de expandir a produção e atingir um público maior. Hoje, 95% das minhas clientes vêm por indicação. Isso quer dizer que tenho muito público ainda para atingir.”

Recado da Cris

“As coisas não se tornam mais fáceis, você que se torna mais forte”.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir