Famílias deixam condomínio após desabamento de muro no bairro Auxiliadora, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Precaução16/12/2021 | 22h06Atualizada em 17/01/2022 | 10h00

Famílias deixam condomínio após desabamento de muro no bairro Auxiliadora, em Porto Alegre

Defesa Civil orientou a saída dos moradores até apresentação de laudo que indica se há risco de queda da estrutura

Famílias deixam condomínio após desabamento de muro no bairro Auxiliadora, em Porto Alegre Anselmo Cunha / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Anselmo Cunha / Agencia RBS / Agencia RBS

Cinco famílias foram orientadas pela Defesa Civil de Porto Alegre a sair de seus apartamentos após o desabamento de um muro que separa o prédio de um terreno vizinho, onde uma obra está sendo realizada. A queda da estrutura ocorreu na quarta-feira (15) na Rua Cândido Silveira, no bairro Auxiliadora.

A Defesa Civil foi acionada pelos moradores e, após análise do local, notificou as famílias a deixarem o local. De acordo com o órgão, para que os moradores possam voltar às suas residências é necessário que o condomínio apresente um laudo técnico assegurando que não há risco estrutural.

A administração do prédio tem um prazo de 30 dias para apresentar o documento à Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura. Além disso, será preciso indicar no laudo o motivo que levou ao desabamento.

Leia mais
Atendimentos das emergências do Hospital da Restinga serão realizados na Clínica da Família
Projeto em Porto Alegre capacita jovens com deficiência por meio da gastronomia
Após quase dois anos, piscinas públicas de Porto Alegre serão reabertas em 4 de janeiro

Conforme os moradores do condomínio, esta é a segunda vez que ocorre um desmoronamento no local. Na primeira ocasião, teria ocorrido a queda da metade do muro. O edifício tem sete andares, com um apartamento por andar.

— O prédio é de 1978 e nunca tinha acontecido nada. Assim que começaram as obras desta construtora, com as fundações, iniciaram os desmoronamentos — conta o familiar de um dos moradores, que não pediu para não ser identificado.

A administração do condomínio aguarda um retorno da construtora responsável pela obra quanto à contratação de um engenheiro para fazer a avaliação dos danos. A empresa havia sinalizado que faria o contato com o profissional.

Ainda de acordo com a gestão do prédio, se não houver uma notificação da construtora até o final desta quinta-feira (16), o condomínio fará a contratação de um engenheiro.

Por meio de nota, a ALM Empreendimentos Imobiliários afirmou que, durante os trabalhos no canteiro de obras, foram identificados diversos vazamentos pretéritos nas dependências do condomínio lindeiro à obra. Ainda disse que o síndico do condomínio foi notificado para que providenciasse os reparos.

Por fim, a construtora ressalta que está analisando as possíveis causas do ocorrido e tomará as devidas providências para garantir a segurança dos envolvidos.

Confira a nota da construtora ALM na íntegra

"Não houve desabamento de nenhum prédio. Existe uma obra pertencente à construtora em andamento no local. Durante os trabalhos da construtora, foram identificados diversos vazamentos pretéritos nas dependências do Condomínio vizinho à obra. A cada identificação de vazamentos, que eram pretéritos ao início da obra, o Síndico do Condomínio fora imediatamente notificado para que providenciasse os reparos que impediriam ocorrências de maiores danos às construções vizinhas. Após danos causados em parede de contenção da obra em andamento, a defesa civil sugeriu por precaução a evacuação do prédio do condomínio. A construtora até o presente momento não tem ciência se o condomínio realizou reparos em suas próprias dependências, não podendo afirmar que a possível falta de manutenção do condomínio foi a causa do ocorrido. A construtora está analisando as possíveis causas do ocorrido e tomará as devidas providências para garantir a segurança dos envolvidos." 



 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros