Imprecisa e polêmica: a história por trás do nascimento de Cristo ainda é repleta de incertezas - Notícias

Versão mobile

 
 

25 de dezembro10/12/2021 | 10h33Atualizada em 10/12/2021 | 10h35

Imprecisa e polêmica: a história por trás do nascimento de Cristo ainda é repleta de incertezas

Há versões que chegam relacionar a data à substituição de uma celebração pagã

Imprecisa e polêmica: a história por trás do nascimento de Cristo ainda é repleta de incertezas Filippo Monteforte/AFP
O fato é que não se há nenhuma certeza histórica a respeito do dia do nascimento de Jesus Cristo Foto: Filippo Monteforte / AFP
GZH
GZH

Apesar da primeira imagem que nos remete ao Natal ser o Papai Noel e o pinheiro enfeitado, na civilização ocidental a data marca o nascimento de Jesus Cristo, a principal figura do cristianismo. Mas o dia de seu “aniversário”, em 25 de dezembro, é envolto em polêmicas, que vão desde a imprecisão até a necessidade de enfraquecer tradições pagãs.

Uma das hipóteses mais replicadas é a de que a festa de Natal teria sido uma “substituição” da comemoração do Sol Invictus, celebração pagã que marca o solstício de inverno. Esse culto, em adoração ao deus Mitra, começou na Síria e foi adotado pelo Império Romano a partir do ano 274, sendo introduzido pelo imperador Aureliano. Ela simboliza a comemoração da “vitória do sol sobre as trevas” – daí vem o nome em latim, que significa “Sol Vencedor”. E essa celebração de virada de estação ocorre justamente no dia 25 de dezembro.

Com o avanço do cristianismo a partir do século 4, acredita-se que a data foi ressignificada com o nascimento de Cristo, justamente para enfraquecer as comemorações pagãs e convertê-los em cristãos.

Contudo, existem pistas que levaram a chegar à data de 25 de dezembro para o nascimento de Jesus. Algumas dessas dicas estão registradas na própria Bíblia.

De acordo com um artigo publicado no portal Esboçando Ideias, tradicionalmente se assume que Jesus Cristo era seis meses mais novo que São João Batista, seu parente que o teria batizado nas águas do Rio Jordão. Presume-se essa diferença de idade por conta de indícios deixados no Evangelho segundo Lucas, o único que expõe com mais detalhes o nascimento de João Batista.

Para o padre Paulo Ricardo, sacerdote na paróquia de Cristo Rei em Várzea Grande (MS), a principal pista que se tem para saber a época do ano em que Jesus nasceu é justamente o anúncio do nascimento de São João Batista, feito pelo arcanjo Gabriel, para São Zacarias, seu pai.

Segundo o teólogo e historiador italiano Nicola Bux, por conta da “classe” sacerdotal que Zacarias pertencia, ele estaria servindo no templo de Jerusalém nos últimos dez dias do mês de setembro quando o anúncio foi feito. Naquele tempo, cada sacerdote servia em épocas diferentes do ano. Outro fator que coincide com essa suposição é o início do Tempo do Advento da Igreja Católica do Oriente, que começa no dia 23 de setembro. Para eles, a data é atribuída ao anúncio do nascimento de São João Batista.  

Dessa forma, tomando como base uma gestação de nove meses (não se tem certeza se durou esse tempo, mas assumindo que sim), João Batista teria nascido no final de junho do ano seguinte. Portanto, se chegou à conclusão da época do ano em que Jesus Cristo nasceu - ou seja, nos últimos dez dias de dezembro.

Apesar de haver coincidências cronológicas, como o solstício de inverno e os seis meses posteriores ao nascimento de João Batista, estes marcos temporais são lendas antigas, também sem comprovação precisa. Portanto, o fato é que não se há nenhuma certeza histórica a respeito do dia do nascimento de Jesus Cristo.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros