Com avanço da covid-19, Hospital de Clínicas de Porto Alegre reduz cirurgias eletivas em 25% - Notícias

Versão mobile

 
 

Medida temporária26/01/2022 | 15h26Atualizada em 26/01/2022 | 15h31

Com avanço da covid-19, Hospital de Clínicas de Porto Alegre reduz cirurgias eletivas em 25%

Objetivo é realocar recursos para contemplar um maior número de leitos para internação de pacientes com coronavírus

Com avanço da covid-19, Hospital de Clínicas de Porto Alegre reduz cirurgias eletivas em 25% Jefferson Botega / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS / Agencia RBS

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) decidiu reduzir em 25% as cirurgias eletivas que demandam internação devido ao aumento de casos de covid-19. A medida, adotada de forma temporária, vale desde a última segunda-feira (24).

Segundo o HCPA, a decisão tem como objetivo realocar recursos para contemplar um maior número de leitos para internação de pacientes com covid-19. As consultas e cirurgias ambulatoriais estão mantidas.

A instituição também segue com a medida educativa de solicitar aos visitantes apresentação do comprovante de vacinação com as duas doses para acesso a todas as unidades. No entanto, a entrada de quem não apresenta o documento não é impedida.

Para visitantes, também estão mantidas as orientações de não apresentar sintomas gripais e não ter tido contato próximo com paciente com diagnóstico de covid-19 nos últimos 14 dias. Também é necessário usar máscara de forma adequada e higienizar as mãos frequentemente.

Visitas seguem suspensas em outras instituições

Outros hospitais consultados por GZH afirmam ainda não haver nenhum tipo de impacto no atendimento. No entanto, há restrições a visitantes ou protocolos reforçados.

No Grupo Hospitalar Conceição, as visitas estão suspensas para pacientes internados nos hospitais Nossa Senhora da Conceição, Criança Conceição, Cristo Redentor e Fêmina. Permanece autorizada a entrada de acompanhantes de pacientes internados, conforme previsto em lei.  

Nas unidades da Santa Casa, todas as visitas aos andares também estão suspensas, e acompanhantes são permitidos somente no caso de prescrição médica. A decisão vale também para ambulatórios, onde é permitido um acompanhante por paciente para os casos que dependem de acompanhamento, como idosos, crianças ou pessoas com deficiência (PCD), por exemplo. Nas UTIs, as visitas continuam permitidas, seguindo todos os protocolos de segurança, como uso de máscara obrigatório, distanciamento e uso de álcool gel.

Nos hospitais Divina Providência e Independência, pertencente à mesma rede, as visitas também estão suspensas. No Divina, somente são autorizadas as trocas de acompanhantes uma vez por turno, das 6h às 20h — permanecem com direito a um acompanhante os pacientes que realizam exames sob sedação anestésica, consultas ambulatoriais, cirurgias e do Centro Obstétrico.

No Hospital Moinhos de Vento, é permitido um visitante por paciente. No caso das unidades Covid e OncoHematológica, seguem restritas. No átrio da maternidade, o acesso está suspenso. O acompanhamento de pacientes no hospital segue liberado, com exceção daqueles que apresentem sintomas respiratórios.

Nos Pronto-Atendimentos da Cruzeiro, Bom Jesus e Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, visitantes não são permitidos — somente o contato por telefone. No entanto, os pacientes não costumam permanecer muito tempo nesses locais.

A Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Moacyr Scliar, na Zona Norte, voltou a atender a todos os pacientes na noite passada após recomendar que casos classificados como leves procurassem outras unidades de saúde.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros