Conheça a lagoa que fica dentro da maior ilha da Lagoa dos Patos - Notícias

Versão mobile

 
 

Sul do Estado20/01/2022 | 12h01Atualizada em 20/01/2022 | 16h26

Conheça a lagoa que fica dentro da maior ilha da Lagoa dos Patos

De águas cristalinas, ela acabou ganhando dois nomes: um turístico e um escolhido pelos nativos

 CORREÇÃO: as fotos que ilustraram esta reportagem entre as 22h do dia 19 de janeiro e as 9h do dia 20 de janeiro mostravam o estuário da Lagoa dos Patos, e não a Lagoa das Noivas. As imagens já foram substituídas.   

Lagoa das Noivas, para os turistas. Lagoa do Rei, para os nativos. Tanto faz. O que importa são as águas cristalinas e doces encravadas no meio de uma ilha, no Sul no Estado. A lagoa que tem dois nomes fica na Ilha dos Marinheiros, a 40 quilômetros do Centro de Rio Grande, e tem área pública para banho, sem guarda-vidas, e privada, sinalizada no único camping da região.

Segundo a artista plástica Anna Lucia Dias Morrison, que é neta de portugueses do distrito de Aveiro e ajudou a recuperar a parte histórica da ilha, o motivo de a lagoa ser conhecida como das Noivas remete à própria história.

– Antigamente, namorar pessoas que a família não simpatizava acabava tendo como única opção a fuga para casar. Os casais costumavam fugir pelas dunas da Ilha dos Marinheiros (que circundam a lagoa) e, quando já iam mais distante, soltavam fogos. Era quando a Ilha toda ficava sabendo que havia fugido uma moça. Posteriormente, os namorados em fuga se casavam no cartório da cidade. Então, a lagoa ganhou este nome porque era por onde as moças fugiam para casar – explica Anna Lucia.

Mas para os irmãos e sócios Reginaldo e Moisés Gago Marques, de 49 anos e 59 anos, ambos nativos da região, o nome Lagoa do Rei é uma homenagem a Dom Pedro II, que em 1845 visitou a Ilha dos Marinheiros para conhecer a lagoa e os portugueses que a habitavam. 

Pescadores e agricultores, eles decidiram mostrar ao mundo as belezas que conhecem desde a infância e empreenderam na região que os antepassados escolheram para morar a partir do século 18. Em 2014, os dois se uniram para criar um espaço turístico às margens da lagoa, com capacidade para receber até 100 veículos por final de semana: o camping Kiosk. 

RIO GRANDE, RS, BRASIL - 19/01/2022  Camping Lagoa do Rei, Lagoa das Noivas. Na foto, donos do camping Kiosk, Reginaldo (de preto) e Moisés Gago Marques(de verde). Foto: Marco Favero / Agencia RBS<!-- NICAID(14993719) -->
Irmãos Reginaldo e Moisés Gago são os sócios no comando do camping KioskFoto: Marco Favero / Agencia RBS

– Este é o nosso paraíso particular, ainda queremos fazer daqui o Caribe do Sul do Estado - revela, animado, Reginaldo.

Numa área de 20 mil metros quadrados, os visitantes podem se refrescar na lagoa ou sob a sombra das árvores. O vento é companheiro de quem decide passar o dia ou a semana no local. Diariamente, os irmãos fazem uma limpeza no trecho indicado para banho, onde a água pode chegar a um metro de altura. Neste período de seca, em que a região está há quase três meses sem chuva contínua, a água não passa do joelho.

O camping oferece mesas e churrasqueiras, banheiro com acessibilidade, restaurante, e é possível ficar na areia, sobre os quiosques rústicos que serão remodelados para a próxima temporada. Hoje, a área recebe mais banhistas nos finais de semana. Cerca de 80% deles são de Pelotas, Canguçu e São Lourenço do Sul. Reginaldo lamenta que os próprios moradores de Rio Grande não costumam visitá-los. Porém, a cada ano, os irmãos veem o número de turistas aumentar na ilha.

– Para a próxima temporada, vamos oferecer a opção de o visitante se banhar na lagoa de água salgada, no estuário da Lagoa dos Patos, que circunda a ilha e fica a 300 metros da nossa lagoa de água doce – revela Reginaldo.

De colonização açoriana, a Ilha dos Marinheiros é a maior de toda a Lagoa dos Patos, com 39 quilômetros quadrados de área, localizada a 45 quilômetros do centro de Rio Grande. Colonizada a partir do século 18, a ilha recebeu esse nome porque os marinheiros responsáveis pela construção do Forte Jesus, Maria, José iam ao local para buscar água potável e lenha.

Um século depois, a região chegou a ter 14 mil moradores atuando na pesca artesanal e na agricultura. Hoje, cerca de 1,3 mil pessoas vivem no local desempenhando as mesmas funções. Uma única estrada, de 27 quilômetros de extensão, liga os cinco pequenos povoados que a compõem: Porto do Rei, onde se localizam o camping e a área pública, Marambaia, Coreia, Bandeirinhas e Fundos. A lagoa tem acesso para banho, principalmente, pela localidade de Porto do Rei.


Sobre o camping Kiosk

Localização: Estrada Frederico Albuquerque - Ilha dos Marinheiros. Só aceita visitantes motorizados.
Diária para carros: R$ 40
Diária para motor homes: R$ 75
Diária para acampar: R$ 60 (veículo)
Excursões com van ou ônibus: R$ 15 por pessoa
Telefone: (53) 99159-5464
Instagram: @campingkiosk


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros