Magali Moraes: salvos pelo fíndi - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga21/01/2022 | 09h00Atualizada em 21/01/2022 | 09h00

Magali Moraes: salvos pelo fíndi

Colunista escreve às segundas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: salvos pelo fíndi Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Você conhece alguém que não idolatra o fíndi? Que não dá o devido valor a essa abençoada paradinha na semana? Me apresente essa pessoa, que eu vou gastar toda a minha saliva com argumentos convincentes. O que seria da gente se não fosse a expectativa de ter um sábado e um domingo pela frente? Melhor que isso, só feriado. Por mais que se trabalhe nesses dias, em algum momento você vai poder descansar. E é aí que a sensação de plenitude do final de semana tomará conta de você. 

Longe de mim romantizar o sábado e o domingo. A maldita ida ao supermercado acaba comigo (ainda não me achei no rancho online). Alguma outra tarefa chata ou compromisso sempre tem. Mas é fíndi. Espere que virá o delicioso gostinho de liberdade. Com horários mais flexíveis, dá tempo de vegetar no sofá e também de passear. Tomara que você durma um pouco mais. Tem gente que pula cedo da cama pra render o dia. Não consigo (e não julgo). O bom do fíndi é justamente fazer o que quiser.

Leia outras colunas da Maga

Figurinhas

Das lembranças de fíndis na infância, eu e meus irmãos esperávamos o sábado pra ir na banca de revistas comprar figurinhas. Era frequente ou foi apenas uma fase que eternizei? A memória afetiva prega peças na gente. Na adolescência, o fíndi significava festas e amigas. Depois, namorar era a grande pedida. Um pulo no tempo até a maternidade: nos fíndis, eu podia focar no papel de mãe. Pracinhas, que saudade! Um final de semana pode passar rápido demais com filhos pequenos.

Que louco isso! O mesmo sábado e domingo ganham significados diferentes conforme as nossas fases da vida. Agora um pulo no futuro. Como serão os fíndis quando eu não precisar mais trabalhar? Apenas dias iguais aos outros? Acho que não. É bem provável que seja uma festa esperando os netos. Ou então viajando mundo afora e observando como os moradores de diferentes cidades e países aproveitam seus fíndis . Falando nisso, aproveite muito bem o seu pra recarregar as energias. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros