Magali Moraes: viva os honestos - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga17/01/2022 | 09h00Atualizada em 17/01/2022 | 09h00

Magali Moraes: viva os honestos

Colunista escreve às segundas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: viva os honestos Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Semana passada, o reciclador Wesley Zaqueu Soares de Novo Hamburgo encontrou R$ 4 mil jogados por engano no lixo. O dinheiro não era dele, devolveu pro dono. Simples assim. Então por que isso vira notícia e faz um bem danado pra gente? Porque aquela frase clichê "Honestidade se aprende com a família" (ou desde pequeno em casa) é bonita de se falar, mas difícil de praticar. Ah se o mundo tivesse muitos Wesleys pra gente acreditar um pouco mais na humanidade. Parabéns, viu?

Boa índole que chama. Caráter, decência, dignidade. Ser honesto é não se envergonhar dos próprios atos, achar que fez a sua obrigação como cidadão e pessoa do bem. Especialmente no Brasil, precisamos valorizar as ações corretas e torcer pra que sirvam de inspiração pra quem tá do outro lado da força. Os desonestos soltos por aí, de terno e gravata ou de qualquer roupa, que fazem barbaridades sem levar em consideração mais ninguém. Pior que não se sentem culpados, mas espertos.

Leia outras colunas da Maga

Raro 

Entendeu por que a atitude do Wesley tem mesmo que virar assunto nacional? Se fosse na Dinamarca, Finlândia ou Japão nem seria notícia porque é raro de acontecer. Onde já se viu pegar pra si algo que não te pertence?! Eu me emociono cada vez que leio sobre os Wesleys da vida. Quem nunca sonhou em achar dinheiro no bolso da calça, no chão, na rua? As notas só caem do céu em filmes policiais e de aventura. No dia a dia, a gente precisa ralar muito pra honrar os boletos.

Achado não é mesmo roubado? Vai fazer falta a alguém, pode apostar. Nesses casos onde uma pessoa encontra uma bolada de dinheiro, o que ela faz se ninguém estiver olhando? Pensa duas, três vezes? Lembra das dívidas e como essa graninha viria bem? Aí, sim, o caráter fala mais alto. Uma certeza absoluta tem que vir lá de dentro da gente: isso é errado. Uma casa desmorona se não tiver alicerces. O mesmo vale pra nós. A honestidade é um dos pilares que nos sustentam como indivíduo. 


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros