Princesas, murais e salas coloridas animam a vacinação de crianças contra a covid-19 - Notícias

Versão mobile

 
 

Descontração20/01/2022 | 11h59Atualizada em 20/01/2022 | 11h59

Princesas, murais e salas coloridas animam a vacinação de crianças contra a covid-19

Locais de aplicação de doses ganharam novas cores e personagens para receber e tranquilizar os pequenos no momento da imunização

Normalmente mais sóbrios, alguns postos de saúde de Porto Alegre e Região Metropolitana ganharam novas cores e personagens nesta quarta-feira (19). A causa era nobre: o início da vacinação contra a covid-19 de crianças de cinco a 11 anos. Foi o caso da Clínica da Família IAPI e da Unidade de Saúde Santa Marta, em Porto Alegre.

A Clínica da Família IAPI, bairro Passo d’Areia, elaborou murais com balões, flores e desenhos – entre eles o do Zé Gotinha – nos quais os pequenos, depois de se vacinarem, eram fotografados por seus familiares. No peito, as crianças carregavam medalhas de primeiro lugar, por terem vencido o medo e enfrentado a agulha. No momento da vacinação, quem aplicava a dose eram servidoras com tiaras de anteninha colorida.

Enquanto aguardavam o período de 20 minutos, recomendado pelos profissionais da saúde para que seja certificado de que o menino ou a menina não terão nenhuma reação, mesinhas com papéis para desenhar ou colorir distraíam a gurizada.

Na Unidade de Saúde Santa Marta, bairro Centro Histórico, o investimento em decoração e vestimenta alusiva ao mundo infantil foi alto. Balões, cartazes que davam as boas vindas às crianças e um espaço na rua, onde os pequenos eram acolhidos por funcionários e faziam desenhos, afastavam o clima frio que ambientes de saúde podem ter.

Além da aposta em espaços coloridos, a equipe do posto de saúde também convidou “personagens” para o momento da vacinação. A estagiária de Psicologia Daiane Ribeiro, por exemplo, ficou vestida de princesa ao longo da manhã.

— Eu faço estágio no Primeira Infância Melhor, que é um projeto que trabalha com crianças de extrema vulnerabilidade social. Muitas vezes, eu e minha colega visitamos as comunidades vestidas assim, para que as crianças tenham vontade de aderir ao programa. Aí, resolvemos usar a fantasia também para incentivar a vacinação — relata Daiane.

Para a estudante de Psicologia, trazer o lúdico para o momento da imunização é importante para que as crianças não fiquem com medo da vacina:

— Às vezes, eles chegam com medo. Mas, quando chegamos neles, eles ficam mais calmos. Aí fazemos uma “tatuagem” de coração neles, para dar força, e eles vão bem tranquilos se vacinar — conta a estagiária.

A estagiária de Nutrição Nicole Saldanha vestia roupas casuais, mas arriscou uma tiara floral para entrar na brincadeira. Para ela, é uma forma de incentivar a vacinação.

— Acho que é bem importante a gente ser lúdico, para eles também não ficarem com medo, não terem aquela expectativa ruim sobre a vacina. Acho que é bem importante que a gente esteja mais próximos deles neste momento — avalia Nicole.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros