Temporal destelha casas, derruba árvores e deixa um homem ferido no Vale do Sinos - Notícias

Versão mobile

 
 

Virada no tempo17/01/2022 | 09h11Atualizada em 17/01/2022 | 09h19

Temporal destelha casas, derruba árvores e deixa um homem ferido no Vale do Sinos

Vendaval seguido de chuva atingiu também cidades nos vales do Caí e do Paranhana. Em Porto Alegre, nuvens carregadas anunciavam a chegada da chuva no final da tarde

Um vendaval seguido de chuva atingiu os vales do Sinos, do Caí e do Paranhana, por volta das 17h deste domingo (16). O vento forte, que não durou mais do que cinco minutos, foi suficiente para destelhar casas, derrubar árvores e ferir pelo menos uma pessoa. 

Em Portão, no Vale do Sinos, um homem de 45 anos foi atingido por telhas e madeiras que voaram de um telhado. Ele caminhava no estacionamento do condomínio Campo Grande 2 quando foi atingido gravemente no lado direito da barriga e nos braços por destroços. Segundo o Corpo de Bombeiros de Portão, ele foi atendido na cidade, mas está sendo transferido para o HPS de Canoas. Ele teve o abdômen perfurado. Até as 18h, os bombeiros da cidade haviam recebido pelo menos 15 chamados de casas destelhadas. 

Em Novo Hamburgo, na mesma região, até as 18h, pelo menos 30 chamados foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros, a maioria de árvores caídas em áreas públicas e sobre veículos. Havia também casos de destelhamentos. 

No Vale do Paranhana, os bombeiros de Três Coroas ainda recebiam chamados de destelhamentos e árvores caídas em vias públicas por volta ds 17h50min, quase uma hora depois do vendaval.

O temporal também atingiu cidades do Vale do Caí, como São Sebastião do Caí, onde 18 bombeiros voluntários, divididos em quatro equipes, trabalham para atender cerca de 20 chamados ocasionados pelo vendaval, entre quedas de árvores e destelhamentos. 

Queda de telhas em São Sebastião do Caí
Fortes ventos causaram destelhamentos em São Sebastião do Caí, no final da tarde deste domingoFoto: Divulgação / Corpo de Bombeiros de São Sebastião do Caí

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de perigo de tempestade para o Rio Grande do Sul entre domingo (16) e segunda-feira (17), com chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, vento intenso (60-100 km/h) e queda de granizo. Também alertou para o risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e alagamentos.

No mesmo horário em que o temporal atingia regiões próximas de Porto Alegre, a Capital via o tempo mudar do sol escaldante para um céu carregado. Houve um princípio de vento, a temperatura, que alcançou 39,8°C, a maior desde 11 de janeiro de 2021 (quando a máxima chegou a 38,4°C), caiu para 36°C por volta das 18h30min, quando a chuva chegou à cidade. A chuva se intensificou por volta das 20h30min e foram registrados pontos com falta de luz e sinaleiras com problemas em vários pontos da cidade.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros