Adolescentes imunossuprimidos passarão a receber mais duas doses de vacina contra a covid-19 - Notícias

Versão mobile

 
 

Nova orientação10/02/2022 | 13h19Atualizada em 10/02/2022 | 14h06

Adolescentes imunossuprimidos passarão a receber mais duas doses de vacina contra a covid-19

Grupo de 12 a 17 anos com deficiências no sistema de defesas do organismo fica apto a tomar terceira dose e dose adicional do imunizante da Pfizer

Adolescentes imunossuprimidos passarão a receber mais duas doses de vacina contra a covid-19 Marcelo Casagrande / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS / Agencia RBS

Adolescentes imunossuprimidos de 12 a 17 anos passarão a receber a terceira e a quarta doses da vacina contra a covid-19, de acordo com nova orientação estabelecida pelo Ministério da Saúde

Em nota técnica divulgada nesta quarta-feira (9), a Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 detalha que o esquema primário de imunização para esse público  específico seja de duas doses mais uma dose adicional (terceira) e, quatro meses depois, a de reforço. A população imunocomprometida acima de 18 anos já vem seguindo o esquema com quatro injeções.

As três primeiras precisam respeitar intervalos de oito semanas entre si. Todas as aplicações devem ser, obrigatoriamente, da vacina produzida pelos laboratórios Pfizer/BioNTech. 

Na nota, também é destacado que gestantes e puérperas (no período de até 45 dias pós-parto) imunocomprometidas de 12 a 17 anos poderão receber uma dose de reforço de Pfizer, quatro meses depois de completado o esquema primário. 

Pacientes imunossuprimidos ou imunocomprometidos são aqueles que apresentam deficiências no sistema de defesas do organismo. O documento do governo federal detalha as seguintes condições:  

  • Imunodeficiência primária grave 
  • Quimioterapia para câncer 
  • Transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas com uso de drogas imunossupressoras 
  • Pessoas vivendo com HIV/aids 
  • Uso de corticoides em doses a partir de 20mg ao dia de prednisona (ou equivalente) por período igual ou superior a 14 dias 
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune 
  • Doenças autoinflamatórias e intestinais inflamatórias 
  • Pacientes em hemodiálise 
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas 

GZH solicitou informações à Secretaria Estadual da Saúde (SES) sobre a data em que as novas diretivas entrarão em vigor no Rio Grande do Sul. Em resposta, a assessoria de imprensa da pasta informou que a pauta deve ser tratada na reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), com representantes da SES e das secretarias municipais da Saúde, prevista para as 15h30min desta quinta-feira (10).  

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros