Campanha busca ajuda para senegalês pai de quatro filhos baleado em assalto - Notícias

Versão mobile

 
 

Em Passo Fundo02/02/2022 | 14h55Atualizada em 02/02/2022 | 14h55

Campanha busca ajuda para senegalês pai de quatro filhos baleado em assalto

Serigne Mbacke Dieng, 46 anos, está hospitalizado desde a noite do último sábado; motoristas de app pedem mais segurança

Campanha busca ajuda para senegalês pai de quatro filhos baleado em assalto DIOGO ZANATTA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Protesto realizado nessa terça-feira no município do norte do Estado Foto: DIOGO ZANATTA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Leticia Mendes

Na noite do último sábado (29), Serigne Mbacke Dieng, 46 anos, seguia sua rotina, atendendo corridas por aplicativo, em Passo Fundo, onde reside, quando se tornou um alvo da violência. O senegalês, que trabalha para sustentar a família no país africano, foi baleado durante assalto e segue hospitalizado. No município do norte do Estado, foi criada campanha para ajudar o imigrante. Motoristas de app da cidade também pedem por segurança.  

Seri, como é conhecido o condutor, começou a trabalhar na função no início de 2020. Na noite de sábado, atendeu uma corrida por volta das 22h por meio do aplicativo Garupa. Ao deixar um casal no bairro São José, no local chamado de loteamento Leonardo Ilha, foi alvejado por disparo de arma de fogo no peito.  

Leia mais
“A gente não está se sentindo em paz. Não temos mais o desejo de viver no Brasil”, diz tio de congolês espancado e morto no Rio
Polícia Civil indicia duas pessoas em caso de agressão de mãe e filha em shopping de Porto Alegre
Presos três suspeitos de matar congolês Moïse em quiosque no Rio de Janeiro

O motorista, que estava consciente quando foi acudido por moradores, chegou a relatar que os criminosos tinham exigido celular e dinheiro, antes de atirarem. Os assaltantes fugiram levando o carro, que foi abandonado nas proximidades. Socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Seri foi levado para o Hospital de Clínicas de Passo Fundo, onde passou por cirurgia para remoção do projétil. Segundo a casa de saúde, o último boletim médico indica que o paciente está internado em estado estável.  

— Estamos na esperança. Estou aqui na frente do hospital. Pelo que sabemos, ele está bem. Fez cirurgia. Estamos aguardando notícias e torcendo para que ele receba alta logo — conta Moustapha Diouf, 29 anos.  

Assim como Seri, a quem chama de “irmão", Diouf também trabalha como motorista de app. Ele chegou ao Brasil em 2015 e conheceu o amigo já em Passo Fundo, em um antigo emprego. Há dois anos, ambos acabaram mudando de função e passaram a trabalhar como motoristas. No Senegal, Seri deixou quatro filhos, mãe e irmãos, que dependem do trabalho dele.  

— Ele sustenta a família. Ele é um irmão para mim. Um amigo, de verdade, que posso contar a todo momento — diz.  

Na terça-feira (1º), Diouf foi um dos motoristas engajados no protesto, que percorreu as ruas de Passo Fundo. “Queremos mais segurança! Força Seri”, era uma das frases escrita nos veículos durante a manifestação.  

— Nossa intenção é alertar as autoridades para que isso não venha a acontecer mais e pedir mais segurança para a população inteira, não só para os motoristas — diz.  

O caso é investigado atualmente pela equipe da 2ª Delegacia de Polícia de Passo Fundo.  

— Estamos com a investigação ainda incipiente, já que a vítima se encontra hospitalizada. Fizemos várias diligências, temos algumas identificações de suspeitos. Mas dependemos de poder ouvir a vítima, para confirmar ou não o que apuramos. Aguardarmos o estado de saúde dele, para que possa ser ouvido — afirma o delegado Venicios Demartini, responsável pela apuração.  

Sobre o que teria sido levado da vítima, além do carro, segundo o delegado, acredita-se que o celular do senegalês tenha sido roubado, mas isso também precisa ser confirmado. 

Vaquinha online  

Campanha online foi criada para arrecadar valores e ajudar o senegalês. O pedido de colaboração, publicado pela própria plataforma para a qual o motorista estava prestando serviço, ressalta que Seri é um dos condutores mais bem avaliados do aplicativo. A campanha (neste link) tinha como objetivo arrecadar R$ 15 mil, e na tarde desta quarta-feira (2) já havia ultrapassado a meta (R$ 16,5mil).    

Leia mais
Faxineira assassinada em Passo Fundo tentava livrar filha de relação violenta; as duas foram mortas

GZH entrou em contato com a Garupa, que reforçou que Seri se mudou para o Brasil com o objetivo de mudar de vida e que, com o dinheiro que ganha pelo trabalho no aplicativo, ajuda a família e os filhos que ficaram no Senegal, e detalhou o que está sendo feito pela plataforma para colaborar com a apuração e auxiliar o motorista. 

Confira a nota, assinada por Leandro Peruzzo, sócio operador do Garupa App em Passo Fundo

“O Garupa tem seu próprio mecanismo de segurança onde exige que, para ser cadastrado na plataforma, o passageiro deve informar seu CPF que é verificado e validado, é enviado um SMS para o telefone cadastrado com um token (código) para ser digitado no app e além disso é exigida uma selfie do passageiro, para que caso aconteçam casos parecidos em nossa plataforma possamos colaborar de todas maneiras com as investigações.  

É importante ressaltar que o motorista jamais faça corridas que não sejam via aplicativo, pois assim não tem nenhuma segurança e pode estar sujeito a fatalidades sem que haja registros. Estamos colaborando com a Polícia Civil que segue investigando o caso, os suspeitos já foram identificados e a busca está sendo feita. O Garupa App oferece sede local na cidade, exige antecedentes criminais para os motoristas, seguro para acidentes de passageiros e outros pré-requisitos demandados pela lei municipal vigente desde de 2018, tendo sua base de motoristas compartilhada em tempo real com a secretaria da segurança que é o órgão fiscalizador responsável pelos aplicativos. Nosso propósito é prezar pela segurança tanto do passageiro quanto do motorista que é nosso principal parceiro. 

No momento o motorista segue hospitalizado em estado estável. Além da Vaquinha organizada pelo Aplicativo Garupa, a qual você pode colaborar pelo site https://vaka.me/2661392 vai ser organizado uma ação social pelos motoristas, a qual será feito cachorro-quente e o valor será repassado tudo para o Seri. Serão feitos ingressos e logo irá ser anunciada a data e local, com o objetivo de arrecadar recursos para que ele possa cuidar do tratamento, continuar ajudando seus quatro filhos que estão no Senegal e pagar prestação do veículo, entre outros gastos.” 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros