Carnaval de rua com blocos não ocorrerá em fevereiro e deve ter formato diferente, diz secretário de Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Data indefinida11/02/2022 | 11h26Atualizada em 11/02/2022 | 11h26

Carnaval de rua com blocos não ocorrerá em fevereiro e deve ter formato diferente, diz secretário de Porto Alegre

Na tarde desta quinta-feira, prefeitura da Capital já havia divulgado que desfile das escolas de samba ocorrerá em maio

Carnaval de rua com blocos não ocorrerá em fevereiro e deve ter formato diferente, diz secretário de Porto Alegre Félix Zucco/Agencia RBS
Em 2020, carnaval de rua no bairro Cidade Baixa teve milhares de pessoas Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

O carnaval de blocos de rua em Porto Alegre não deverá ser realizado na data tradicional, neste ano entre o final de fevereiro e o início de março. A afirmação é do secretário de Cultura de Porto Alegre, Gunter Axt. Nesta quinta-feira (10), foi divulgado pela prefeitura que o desfile das escolas de samba no Complexo Cultural do Porto Seco será nos dias 6, 7 e 8 de maio. A situação foi acordada em reunião com entidades carnavalescas.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, o secretário afirmou que a festa, tradicional nas ruas do bairro Cidade Baixa e do Centro Histórico, também deverá mudar de data, e ainda lembra que não é certo que ela ocorra.

— O carnaval de rua é diferente. Ele pressupõe deslocamento. O que estamos conversando com os blocos é que, se ele acontecer, será como no Rio de Janeiro, em arenas, sem deslocamento, mas estamos conversando. Não acontece na data, muito provavelmente, não, e dificilmente acontecerá no formato tradicional — afirma Gunter Axt.

Conforme o secretário, o Carnaval no bairro Cidade Baixa já estava sendo pensado de forma diferente antes da pandemia, devido a discussões entre moradores da região e os foliões. A prefeitura já cogitava levar o evento para outros locais.

Ainda segundo o secretário, a prefeitura fará um investimento para que o desfile das escolas de samba ocorra em maio.

— O Porto Seco sofreu muito com o cenário de abandono. Entre os desafios que temos, neste momento, está recuperar o Porto Seco. Precisamos de um parceiro, uma produtora, que forneça a estrutura e ajude as ligas para realizar o desfile. Isso está sendo bem encaminhado — afirma ele.

Ouça a entrevista na íntegra:


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros