Pfizer pede à Anvisa autorização para uso emergencial de pílula contra covid-19 - Notícias

Versão mobile

 
 

Paxlovid16/02/2022 | 11h49Atualizada em 16/02/2022 | 12h17

Pfizer pede à Anvisa autorização para uso emergencial de pílula contra covid-19

Agência reguladora tem um prazo de 30 dias para analisar documentação entregue pela farmacêutica norte-americana

Pfizer pede à Anvisa autorização para uso emergencial de pílula contra covid-19 Jonatan Sarmento / Arte GZH/Arte GZH
Foto: Jonatan Sarmento / Arte GZH / Arte GZH

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu, nesta quarta-feira (16), o pedido de uso emergencial do paxlovid, medicamento contra a covid-19 produzido pela Pfizer.  De uso oral e do tipo antiviral, o remédio tem capacidade de reduzir casos de hospitalização e mortes pela doença, de acordo com estudos feitos pela farmacêutica norte-americana e entregues à agência reguladora. 

Os testes da Pfizer indicaram que a pílula reduziu em 89% o risco de internação ou morte em decorrência da doença entre os adultos mais vulneráveis ao vírus. 

O paxlovid foi o primeiro medicamento desenvolvido especificamente contra o coronavírus. Segundo o infectologista Eduardo Sprinz, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), o medicamento atua contra uma enzina, chamada protease, essencial para o coronavírus se multiplicar. 

– Essa enzima é fundamental para que o vírus amadureça. Ao amadurecer, ele garante a capacidade de replicação. A inibição dessa enzima faz com que o vírus não se replique – explica. 

Em janeiro, a Anvisa e a Pfizer já haviam realizado uma reunião de pré-submissão do medicamento, antes do envio formal do pedido por parte da empresa. 

Nas próximas 24 horas, técnicos da agência reguladora farão a triagem dos dados entregues pela farmacêutica e verificarão se há alguma documentação faltando – neste caso, a Anvisa pode solicitar novas informações ao laboratório.  

O prazo para análise do pedido de uso emergencial do Paxlovid pela Anvisa é de até 30 dias.  Os Estados Unidos autorizaram o uso emergencial da pílula da Pfizer em dezembro. Já Canadá, México e a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovaram o uso da medicação em janeiro deste ano.

A Pfizer já possui registro definitivo para uso, no Brasil, da sua vacina contra a covid-19 para adultos, adolescentes e crianças. O imunizante é aplicado no Brasil a partir dos cinco anos de idade no Sistema Único de Saúde (SUS)

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros