Porto Alegre ultrapassa índice de 50% de crianças de cinco a 11 anos vacinadas com a primeira dose - Notícias

Versão mobile

 
 

Luta contra a covid-1921/02/2022 | 21h53Atualizada em 21/02/2022 | 21h53

Porto Alegre ultrapassa índice de 50% de crianças de cinco a 11 anos vacinadas com a primeira dose

Marca foi alcançada no sábado (19), exatos trinta dias após o início da imunização do público infantil no Estado

Porto Alegre ultrapassa índice de 50% de crianças de cinco a 11 anos vacinadas com a primeira dose Mateus Bruxel / Agencia RBS/Agencia RBS
O total de doses aplicadas em pessoas dessa faixa etária chegou a 62.944 Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS / Agencia RBS

Porto Alegre chegou a uma marca importante: 53,2% das crianças de cinco a 11 anos já tomaram a primeira dose das vacinas contra a covid-19. O índice foi alcançado no sábado (19), exatos trinta dias após o início da imunização do público infantil no Rio Grande do Sul.

LEIA MAIS
Após quase um mês, cobertura vacinal infantil é de 26,9% no RS; Estado alerta para baixa adesão
Ministério da Saúde corrige cadastro e menina dada como morta é vacinada em Porto Alegre
Adolescentes imunossuprimidos passarão a receber mais duas doses de vacina contra a covid-19   

O total de doses aplicadas em pessoas dessa faixa etária chegou a 62.944, de acordo com dados da Vigilância em Saúde da Capital. O público-alvo é de 118.158 mil. O índice estadual é mais baixo, de 32,9%, mas a Secretaria Estadual de Saúde (SES) diz que muitas doses já aplicadas ainda não foram contabilizadas no sistema.

Na avaliação do coordenador da Vigilância em Saúde de Porto Alegre, Fernando Ritter, o Dia C da Vacinação Infantil, realizado no sábado em sete escolas de Ensino Fundamental, foi importante para que o índice de imunizados entre os pequenos sofresse um salto. Foram aplicadas, naquele dia, 2.965 doses. 

A expectativa é de que a Capital chegue aos 90% de crianças protegidas com a primeira dose ainda no mês de março. 

— O Dia C foi importante, as famílias aderiram. Agora, com muitas crianças voltando das férias, talvez, ao longo do mês de março poderemos atingir a meta de 90%. Esperamos que os pais atendam ao nosso chamado — afirmou Ritter.

A possibilidade de as crianças sofrerem alguma reação incomum por causa da vacina é um medo que não encontra respaldo, avalia Ritter. Segundo ele, não houve relatos de efeitos graves até o momento.

— Todos os as reações foram leves: dor de cabeça, dor no local da vacina, alteração de temperatura e mais nada — garante. 

Existe a intenção de repetir o Dia C da Vacinação em Porto Alegre depois do feriado de Carnaval. A campanha abriu as portas das escolas fundamentais para a vacinação infantil, como forma de estimular que mais crianças recebessem a primeira dose antes da retomada das aulas presenciais, que ocorreu nesta segunda-feira (21). 

Leia mais notícias do Diário Gaúcho 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros