"Problemas são estruturais e significativos", diz Sindicato dos Engenheiros do RS sobre falta de água no Morro da Cruz - Notícias

Versão mobile

 
 

Zona Leste13/02/2022 | 12h19Atualizada em 13/02/2022 | 12h21

"Problemas são estruturais e significativos", diz Sindicato dos Engenheiros do RS sobre falta de água no Morro da Cruz

Grupo de profissionais fez vistoria na região neste sábado. Expectativa é pela instalação de reservatórios que atendam à população, que enfrenta desabastecimento desde o Natal

"Problemas são estruturais e significativos", diz Sindicato dos Engenheiros do RS sobre falta de água no Morro da Cruz Senge / Divulgação/Divulgação
Senge avalia situação estrutural no Morro da Cruz, em busca de soluções para falta de água Foto: Senge / Divulgação / Divulgação

Dez engenheiros do Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul (Senge/RS) realizam, neste sábado (12), uma vistoria técnica no Morro da Cruz, em Porto Alegre. O objetivo é avaliar a possibilidade de instalação de reservatórios para atender 500 residências e beneficiar cerca de 2,5 mil pessoas que sofrem com a falta de água na região conhecida como Altos da Escola.

– Há muitas redes clandestinas. Também há redes públicas que precisam ser ampliadas. Os problemas são estruturais e significativos – diz o diretor de Negociações Coletivas Adjunto do Senge, João Leal Vivian, que acompanha a vistoria, na Rua Primeiro de Setembro.

Conforme Vivian, 50% das residências já restabeleceram o abastecimento de água, que estava comprometido desde o período entre o Natal e o Ano Novo. Apesar da expectativa de que sejam instalados 500 reservatórios, o representante do Senge não confirma esse número.

– Não tenho como confirmar que serão 500 instalados, mas para a água chegar aqui são necessárias redes e caminhões-pipa. Caso contrário, o reservatório fica seco.

O Senge foi convidado pela prefeitura de Porto Alegre para ajudar no problema da falta de água na região. Participam da vistoria também a ONG Engenheiros Sem Fronteiras, engenheiros voluntários e integrantes da diretoria do Senge. A iniciativa está inserida dentro do programa Senge Solidário, em parceria com a Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária de Porto Alegre.

Por sua vez, a prefeitura da Capital apela à população sobre o consumo consciente, para que a água consiga chegar a todas as casas. O processo de cadastramento das famílias que receberão caixas d'água nas regiões mais altas da Zona Leste foi realizado durante a semana, após o município decretar situação de emergência nos bairros Partenon, Vila São José, Vila João Pessoa, Coronel Aparício Borges e Santo Antônio.

Os caminhões-pipa do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) realizaram, do início do ano até a última sexta-feira (11), 94 viagens levando 752 mil litros de água para abastecer os moradores do Partenon. O órgão também divulgou na sexta-feira uma nota sobre as reclamações dos moradores do Morro da Cruz em relação à qualidade e à instabilidade no fornecimento de água desde o Natal.

Confira a íntegra:

"O Dmae garante a potabilidade da água disponibilizada à população e ressalta que não oferece risco à saúde. Os veículos caminhões-pipa são abastecidos pela rede de distribuição de água potável, que é monitorada em mais de 350 pontos, para garantir a qualidade da água tratada. As análises são realizadas em diversos pontos da rede, assim, parâmetros como o teor de cloro necessário são analisados no Dmae, garantindo a segurança para o consumo. Caso existam relatos de problemas na qualidade deste serviço, solicitamos contato pelo canal 156, informando o Departamento para as providências cabíveis. Os caminhões também passam por cloração a cada seis meses. A última coleta foi realizada no dia 03/02/2022 e os resultados comprovam que as amostras de água analisadas encontram-se dentro dos padrões de potabilidade exigidos pela legislação."

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros