Porto Alegre amplia público apto a terceira e quarta doses de vacina contra a covid-19 - Notícias

Versão mobile

 
 

Imunização08/03/2022 | 22h37Atualizada em 08/03/2022 | 22h37

Porto Alegre amplia público apto a terceira e quarta doses de vacina contra a covid-19

Com a nova orientação, gestantes e puérperas de 12 a 17 anos também podem receber reforço

GZH
GZH

Nesta terça-feira (8), Porto Alegre ampliou o público que pode se vacinar com a terceira e quarta dose de vacina contra a covid-19. Com a mudança, a terceira dose estará disponível para gestantes e puérperas de 12 a 17 anos e adolescentes imunocomprometidos da mesma faixa etária a partir desta quarta-feira (9).

A orientação é de que a aplicação seja realizada quatro meses após a segunda dose, para gestantes e puérperas, e oito semanas após a segunda dose para imunocomprometidos. O prazo de oito semanas será adotado para imunocomprometidos a partir de 18 anos. Para as pessoas acima de 18 anos, segue quatro meses para a terceira dose. 

A quarta dose passa a ser oferecida também a adolescentes de 12 a 17 anos imunocomprometidos. O imunizante deve ser aplicado quatro meses após a terceira dose. Para a aplicação da quarta dose em imunocomprometidos são considerados os critérios: 

  • Imunodeficiência primária grave
  • Quimioterapia para câncer
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids 
  • Uso de corticóides em doses maiores de 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por mais de 14 dias
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune
  • Pacientes em hemodiálise
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias)

Leia mais
Brasil chega a 650 mil mortos por coronavírus
Brasil chega a 80% de vacinados contra a covid com a primeira dose
RS vacinou 421 mil crianças contra a covid-19; não há registro de efeitos graves, diz a Secretaria Estadual da Saúde

Para receber os imunizantes, é necessário documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. Os imunocomprometidos devem apresentar ainda comprovante da condição de saúde, por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação. 

De acordo com a prefeitura da Capital, a decisão segue orientação da Secretaria Estadual de Saúde e do Plano Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde e valem a partir desta quarta-feira (9).

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros