Moradores convivem há cerca de sete meses com buraco no bairro Menino Deus, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

A 20 metros do Dmae18/05/2022 | 08h53Atualizada em 18/05/2022 | 08h53

Moradores convivem há cerca de sete meses com buraco no bairro Menino Deus, em Porto Alegre

Conforme o Departamento Municipal de Águas e Esgoto, o serviço está na etapa final e será realizado nesta semana

Moradores convivem há cerca de sete meses com buraco no bairro Menino Deus, em Porto Alegre Mateus Bruxel / Agencia RBS/Agencia RBS
A expectativa do Dmae é realizar a colocação da nova laje nesta quinta-feira Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS / Agencia RBS

Os moradores da Rua Barão do Guaíba, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre, estão convivendo há cerca de sete meses com um buraco que se abriu em uma das faixas da via. Conforme o Departamento Municipal de Águas e Esgotos (Dmae), o problema ocorreu com a danificação de uma das lajes da caixa de entrada da tubulação de água bruta da Estação de Tratamento Menino Deus — que fica a cerca de 20 metros da localização do buraco.

Ainda de acordo com o Dmae, o problema foi detectado em fevereiro e, desde então, ocorreu a retirada da laje danificada e a confecção de uma nova sob medida. O departamento afirma que, por ser produzida em concreto, é preciso aguardar um período de 30 dias para estar em condições de instalação.

A expectativa do Dmae é realizar a colocação da nova laje nesta quinta-feira (19), mas para isso é preciso ter condições climáticas favoráveis. Enquanto esperam pelo conserto, os moradores se preocupam com o crescimento do buraco para o restante da rua.

— Aqui, até pouco tempo, passavam com frequência caminhões pesados trazendo produtos para a Estação de Tratamento. Agora, eles estão entrando por outro acesso, mas se passa algum outro veículo pesado, meu medo é que ceda o outro lado da rua — revela o professor aposentado Naor Nemmen, 60 anos, que reside bem em frente ao ponto onde está o buraco.

De acordo com os moradores, o buraco começou pequeno, mas foi se expandindo rapidamente nas semanas seguintes. Com isso, havia o receio que algum veículo acabasse caindo na caixa de entrada.

— Quando o zelador de um dos prédios aqui da rua ligou para eles e disse que poderia cair um carro ou uma moto, aí os agentes (da EPTC) vieram e viram que era sério. Felizmente, isso nunca aconteceu — contou a corretora de imóveis Sandra Castro, 45 anos, que também mora próximo ao buraco.

Quanto à possibilidade de queda das demais lajes da região, o Departamento Municipal de Águas e Esgotos informou que está avaliando a troca das mesmas, por medida de segurança.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros