Magali Moraes: Relembrar é bom - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga17/06/2022 | 09h20Atualizada em 17/06/2022 | 09h20

Magali Moraes: Relembrar é bom

Colunista escreve às segundas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: Relembrar é bom Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Esses dias, descobri o @oitentando no Instagram. Não é pra quem vai fazer 80 anos, e sim pra quem gosta de lembrar como eram os anos 80 e 90. Existem muitos perfis assim, que usam o apelo da nostalgia pra chamar a atenção. E funciona. Como é bom voltar no tempo e matar a saudade do que fez parte da nossa vida. Marcas de sucesso que desapareceram. Brinquedos da infância. Utensílios que existiam em todas as casas. Objetos que perderam a utilidade e hoje só são vistos em briques. 

Encontrei até o mimeógrafo. Já tinha pensado em escrever sobre esse precursor do xerox. Quem foi criança nessa época sente o cheiro só de lembrar. A gente recebia da profe a prova recém copiada na maquininha tosca com manivela, e o álcool entranhado no papel fazia arder nossas narinas (idem o cérebro). Mas isso foi nos anos 70. A nostalgia tem licença poética: mistura décadas, fatos e lembranças. Quando se imaginou que a cola da prova agora estaria no celular, e não na borracha?

Leia outras colunas da Maga

Mirabel 

Lá no @oitentando achei até a lapiseira de apontar. Os copos de plástico com canudinho. A louça clássica das famílias classe média. Liquidificador, batedeira e enceradeira. O rádio-relógio que nos despertava. O lanche Mirabel e o chocolate Surpresa. Os Trapalhões e a zebrinha do Fantástico. Quem está vendo a nova temporada de Stranger Things na Netflix também volta nos anos 80. As roupas e cabelos, o walkie-talkie do tamanho de um tijolo, a decoração das casas e outras esquisitices. 

Como seria um perfil desse estilo daqui a 40 anos, relembrando o que estamos vivendo nesse momento? Aposto que do WhatsApp teria figurinhas, mensagens de bom dia e correntes (recebi a do pão de Santo Antônio, mas nem tinha pão e muito menos cheiro). As dancinhas do TikTok não podem faltar. Nem as músicas de agora, os programas de culinária e os de reforma. No futuro, os galãs do remake de Pantanal ainda vão fazer sucesso? Enquanto isso, a gente se diverte com os memes.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros