Via sem asfalto e sinalização gera reclamações em Imbé - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso04/07/2022 | 19h30Atualizada em 04/07/2022 | 19h35

Via sem asfalto e sinalização gera reclamações em Imbé

Buracos e acúmulo de água e areia pela Rua General Osório, no Balneário Marisul, são problemas relatados por quem tenta uma travessia no local

Via sem asfalto e sinalização gera reclamações em Imbé Arquivo pessoal / Reprodução/Reprodução
Situação é pior nos pontos da rua mais afastados do litoral, em direção à porção rural do município Foto: Arquivo pessoal / Reprodução / Reprodução

Um caminho fácil de transitar. Esse é o desejo de quem mora na Rua General Osório, no Balneário Marisul, em Imbé.  A via corta a principal avenida da cidade, a Paraguassu, e vai em direção às praias de Marisul e Mariluz. 

Grande parte da estrada não é asfaltada. Buracos e acúmulo de água e areia pela via são problemas relatados por quem tenta uma travessia no local, principalmente nos pontos da rua mais afastados do litoral, em direção à porção rural do município. 

Quando chove, grande parte da rua alaga e acumula barro, relata a veranista Ana Elisa Moreira, 65 anos, que há 14 anos frequenta o local. Depois que a chuva passa, explica, as pessoas temem pela dengue, que tem na buraqueira com água parada um ambiente propício para a proliferação do mosquito.

Incômodo

Além desses problemas, a via não tem sinalização de logradouro, o que faz com que visitantes e até moradores novos se percam pelo balneário. 

– Não tem nome de rua. Uma sobrinha veio de Capão da Canoa me visitar, ficou perdida. Procurou, procurou e não achou, porque falta sinalização – relata uma das residentes mais antigas da Rua General Osório, a pensionista Diolanda de Jesus Kuze Rios, 80 anos. 

A falta de infraestrutura adequada aborrece quem veraneia, mas prejudica quem reside na rua. Com muita areia pela estrada, as casas costumam ficar empoeiradas. Na rua, se bate um vento, o pó sobe e espanta quem estiver pelo caminho. 

– Vivemos amassando barro no inverno e engolindo poeira no verão – resume a situação.

Sem avanço 

A pensionista conta estar cansada de pedir a pavimentação para a prefeitura. Morando há três décadas no local, ela recorda que diversas ações foram feitas por moradores para que a via passasse por reformas. Mesmo assim, nada foi realizado. 

Entre as tentativas, os cidadãos fizeram abaixo-assinados, reuniões e protocolos de reclamação junto à prefeitura. O mais recente gerou o número 27742022, aberto em janeiro e encerrado em junho, sem solução. 

Em uma das reuniões com a administração do município, conta Diolanda, ficou acordado que, se os moradores pagassem os materiais para a reforma da via – cada um o que seria necessário para a frente de sua casa –, a prefeitura colaboraria com as máquinas e a mão de obra. 

Esse acordo, no entanto, também não deu certo. As esquinas ficariam sob responsabilidade do município, já que não há casas nesses trechos da rua, e, por isso, o combinado não evoluiu.

Um caminho fácil de transitar. Esse é o desejo de quem mora na Avenida General Osório, no Balneário Marisul, em Imbé. A via, de aproximadamente um quilômetro, corta a principal avenida da cidade, a Paraguaçu, e desemboca nas praias de Marisul e Mariluz.<!-- NICAID(15136380) -->
Prefeitura diz que se propõe a realizar a obra, caso os moradores contribuam com a compra do materialFoto: Arquivo pessoal / Reprodução

Prefeitura alega não ter recursos 

Secretário municipal de Obras e Viação de Imbé, Caio Sant’ana afirma que o município não possui recursos financeiros para realizar a pavimentação da via. Segundo o plano atual da cidade, a prioridade é asfaltar as ruas com mais comércios e fluxo de veranistas. 

Porém, o secretário diz que a prefeitura se propõe a realizar a obra, caso os moradores contribuam com a compra do material. 

– São diversas ruas para fazer, não apenas essa. O município não tem recursos e, por isso, propomos as parcerias (com os moradores). Ruas como Luiz Osório, em Balneário Presidente, foram restauradas dessa forma – diz. 

Furtos 

O secretário ainda alega que participou da reunião com a comunidade da Rua General Osório, informou a metragem necessária para a pavimentação de quatro quadras da rua para os moradores, mas que está esperando que os materiais sejam comprados. 

Sobre a falta de sinalização de logradouros pela via, ele diz que foram instaladas cerca de 4 mil placas nas ruas da cidade há dois anos, mas que, em muitos casos, a sinalização é furtada.

Produção: Júlia Ozorio


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros