Cris Silva: "A renda extra virou negócio" - Notícias

Versão mobile

 
 

Posso Entrar?05/08/2022 | 10h55Atualizada em 05/08/2022 | 10h55

Cris Silva: "A renda extra virou negócio"

Colunista traz histórias inspiradoras de vida e trabalho todas as sextas-feiras

Cris Silva: "A renda extra virou negócio" Agência RBS/Agência RBS
Cris Silva Foto: Agência RBS / Agência RBS

A história de hoje é de duas colegas de trabalho que se uniram para garantir uma renda extra. O que era só para dar um gás no orçamento virou coisa séria. As vendas bombaram, e elas resolveram apostar em um negócio. Com vocês, Maíra Rodrigues de Azevedo, 27 anos, e Évelyn Chalmers, 30 anos, de Porto Alegre, proprietárias da Mai Cake Veg – bolos, doces, tortas e um montão de delícias feitos sem qualquer ingrediente de origem animal.

Leia outras colunas da Cris Silva

A história de hoje é de duas colegas de trabalho que se uniram para garantir uma renda extra. O que era só para dar um gás no orçamento virou coisa séria. As vendas bombaram, e elas resolveram apostar em um negócio. Com vocês, um pouquinho da trajetória da Maíra Rodrigues de Azevedo, 27 anos, e da Évelyn Chalmers, 30 anos, moradoras de Porto Alegre e proprietárias da Mai Cake Veg _ bolos, doces, tortas e um montão de delícias feitos sem qualquer ingrediente de origem animal.<!-- NICAID(15166672) -->
Dupla empreendedoraFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

FOI ASSIM

Évelyn: “Éramos colegas em uma empresa de contabilidade. Maíra me ligou propondo uma renda extra referente aos doces veganos que ela produzia. A partir daí, pensamos em algo maior, nos organizamos para abrirmos a empresa de fato. E, em 24 de novembro de 2020, nascia a Mai Cake Veg.”

EMPREENDER

Maira: “Com pandemia e previsões de um futuro incerto, decidimos botar em prática o processo de tornar a minha renda extra em algo mais sério. Convidei a Évelyn, e ela topou na hora.” 

Évelyn: “Aceitei o convite porque era a oportunidade de desenvolver um lado empreendedor latente.”

NÃO FOI FÁCIL

Maíra: “O momento mais difícil foi na primeira queda de movimento, em 2021, quando estava trabalhando apenas com a Mai Cake Veg. Me desesperei e voltei a trabalhar no antigo escritório.”

Évelyn: “Para equilibrar as contas, ainda precisarmos de outros trabalhos.”

A história de hoje é de duas colegas de trabalho que se uniram para garantir uma renda extra. O que era só para dar um gás no orçamento virou coisa séria. As vendas bombaram, e elas resolveram apostar em um negócio. Com vocês, um pouquinho da trajetória da Maíra Rodrigues de Azevedo, 27 anos, e da Évelyn Chalmers, 30 anos, moradoras de Porto Alegre e proprietárias da Mai Cake Veg _ bolos, doces, tortas e um montão de delícias feitos sem qualquer ingrediente de origem animal.<!-- NICAID(15166671) -->
Doces veganosFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

NOS FAZ FELIZ

Maíra: “Estar presente em comemorações, levar alegria, receber elogios sobre os doces aquecem meu coração! Ter esperança de que mais pessoas descubram que há possibilidades em comida sem nada de origem animal me motiva a continuar, querer alcançar um público maior e mostrar a todos que animais não precisam sofrer para que a gente se alimente.”

MOTIVAÇÃO

Maira: “Meu namorado, Vinicius, a Évelyn, amigos e a família são fundamentais no apoio.”

Évelyn: “Minha sócia e minha família, meu namorido, Sid, que é a pessoa que desde o início me ajuda a organizar ideias e compartilhar minhas alegrias, dúvidas.”

DAQUI PRA FRENTE

Maira: “Quero voltar a trabalhar só com a Mai Cake Veg. Futuramente, alugar uma cozinha e também ter nosso ponto físico, para atendermos todos os clientes que quiserem nos visitar.”

Évelyn: “Busco conseguir gradualmente me capacitar e poder me dedicar mais a Mai Cake Veg. Além disso, expandir a empresa.”

Se quiser conhecer um pouco mais do trabalho das gurias, entra lá no insta no @maicake_veg.

RECADO DA CRIS 

“Uma pessoa que nunca cometeu um erro nunca tentou nada de novo”. (Albert Einstein)


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros