Você sabe o que caracteriza a fimose e como é possível evitá-la? - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Falando de Sexo29/07/2015 | 20h01

Você sabe o que caracteriza a fimose e como é possível evitá-la?

Falta de higiene adequada do pênis pode ser responsável pela incidência de inflamações ou infecções na região

Você sabe o que caracteriza a fimose e como é possível evitá-la? Divulgação/clicRBS
Foto: Divulgação / clicRBS
Andréa Alves e Lúcia Pesca

falandodesexo@diariogaucho.com.br

Oi, Lúcia e Andréa! Tenho dois filhos, e o mais velho, de nove anos, está com fimose. Estou apavorada, porque me disseram que ele, talvez, tenha que operar.
O que é fimose, por que o meu filho está com isso, e como nós devemos agir com o caçula, para que ele não tenha o mesmo?

A fimose é a dificuldade ou até a impossibilidade de expor a cabeça do pênis, ou melhor, a glande. Isso acontece porque o prepúcio (prega da pele que envolve a glande) estreita a passagem.
 
É que, nos primeiros meses de vida, existe uma aderência natural do prepúcio à glande. Porém, até os três anos, essa aderência desaparece na grande maioria
dos meninos.

As principais causas da fimose são assaduras e cicatrizes que retraem a pele, deixando o anel do prepúcio mais estreito. Outra questão importante é a falta de higiene adequada do pênis, que pode ser responsável pela incidência de inflamações ou infecções que estreitam a abertura do prepúcio.

Assim, a higiene local é a melhor maneira de prevenir a fimose e evitar uma infecção ou uma inflamação do local. Exercícios ou massagens para arregaçar o prepúcio devem ser evitados, pois, além de causar dor, podem provocar sangramentos e, como consequência, a formação de cicatrizes que reduzem o orifício por onde deveria passar a glande.

Muita atenção

Se o descolamento do prepúcio, não ocorrer naturalmente no início da infância, o tratamento da fimose é cirúrgico. Isso irá permitir relações sexuais mais confortáveis
no futuro.

Esta cirurgia consiste na retirada do prepúcio. O ideal é que seja realizado entre sete e dez anos.

Em boa parte dos casos, a criança sai no outro dia do hospital e, em cerca de quatro dias, pode retomar as atividades normalmente. Mas vale a advertência para todos os pais: levem seu filho ao médico ao primeiro sinal de inflamação ou infecção na cabeça do pênis e/ou na pele que recobre.

E se a cirurgia for necessária, não adie a sua realização. Aceite-a com naturalidade e procure tranquilizar seu filho com todo cuidado e muito carinho.

Leia mais colunas do Falando de Sexo

Se você tiver dúvidas ou sugestões de assunto, escreva um e-mail para falandodesexo@diariogaucho.com.br

 

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros