Mãe de Cazuza critica abordagem do HIV em Malhação - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Polêmica05/01/2016 | 10h26

Mãe de Cazuza critica abordagem do HIV em Malhação

Lucinha Araújo divulgou uma nota de repúdio a cenas exibidas na novelinha 

Mãe de Cazuza critica abordagem do HIV em Malhação divulgação/divulgação
Foto: divulgação / divulgação

No ar há mais de 20 anos, Malhação foi pioneira na abordagem de alguns assuntos para o público jovem. Uma das questões fundamentais abordadas na novelinha foi o risco de contaminação pelo vírus HIV. Nas temporadas exibidas entre 1998 e 2001, a personagem Érica (Samara Felippo) descobriu que tinha Aids e mostrou que era possível conviver com a doença, desde que fossem tomados os devidos cuidados. Érica beijou, namorou e até se casou com seu amado Touro (Roger Gobeth).

Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

Anos depois, a abordagem da Aids em Malhação voltou a ser motivo de discussão. Em capítulos exibidos na semana passada, a mocinha Luciana (Marina Moschen) ficou ferida durante um jogo de basquete após esbarrar no colega Henrique (Thales Cavalcanti). Preocupada, a menina correu para a enfermaria do colégio e pediu um coquetel de medicamentos contra o HIV, já que Henrique é soropositivo.

Foto: TV Globo / Divulgação

Após a exibição das cenas, Lucinha Araújo, mãe do cantor Cazuza (morto em decorrência da Aids nos anos 1990) manifestou publicamente sua indignação:

"Depois de 30 anos de trabalho para combater o preconceito e informar corretamente as formas de transmissão do HIV, vemos um programa destinado ao público jovem aconselhar soropositivos a não praticar esportes, a mostrar um médico receitar medicamento antirretroviral numa situação onde dois jovens dão uma cabeçada é no mínimo de chorar."

Presidente da Sociedade Viva Cazuza, Lucinha considerou as cenas de Malhação um desserviço à sociedade. Na nota, ela pede que um novo episódio, com as devidas correções, seja exibido, visando informar melhor aos jovens sobre as formas de contágio pelo HIV.

Ao site Na Telinha, o autor Emanuel Jacobina rebateu as críticas de Lucinha Araújo e explicou:

— Lógico que vou levar em conta a crítica. O fato é que não existe consenso entre os médicos para os casos em que há necessidade do coquetel. É uma discussão em andamento no meio.

Jacobina era um dos autores titulares da Malhação na época em que a história da soropositiva Érica foi ao ar e garante não ter medo das críticas. Além disso, ele reforçou um convite antigo, para que Lucinha Araújo faça uma participação especial na novelinha. 

Leia outras notícias do Noveleiros

Curta nossa página no Facebook

MICHELE VAZ PRADELLA

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros