Magali Moraes: migalhas do cotidiano - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga15/02/2016 | 09h59

Magali Moraes: migalhas do cotidiano

Magali Moraes: migalhas do cotidiano Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Sabe aquele farelinho de pão que fica esquecido no canto da mesa? O pedacinho de chocolate que cai no chão e ninguém vê? É disso que eu me alimento pra escrever a coluna: migalhas do cotidiano. Troque o pão e o chocolate por situações minúsculas do dia a dia. Eu não desperdiço nada, vou juntando o que encontro por aí. Palavras, sentimentos, desabafos, histórias, sensações. Muitas vezes me pergunto se aquele farelinho simpático vai conseguir crescer, saltar aos olhos e interessar a mais alguém. Pode ser uma frase que disseram do meu lado, e tem amigos que já cuidam o que vão falar porque sabem que tudo pode virar coluna.

Semana passada recebi mais um e-mail carinhoso de uma leitora. No meio da conversa, ela disse que eu escrevo como se estivesse em casa deitada no sofá. Quer cena mais cotidiana do que essa? Eu até brinquei que escrevo deitada, sentada, na rua, no chuveiro, na sinaleira fechada. É só uma ideia vir correndo na minha direção que eu me jogo nela.

Leia outras colunas da Maga  

O que inspira

Quando abro o armário da cozinha e escolho qual caneca vou tomar café, posso encontrar o tema de uma coluna. Quando entro nos quartos dos meus filhos e observo eles dormindo, é uma cena tão cheia de amor e de detalhes que eu teria assunto pra um ano. Como não olhar pra esses homens quase maiores que o colchão e lembrar que eles já tiveram pés de bisnaguinha? Falando nisso, você já aproveitou o sono tranquilo de um filho pra voltar no tempo e se apaixonar de novo?

Pessoas que eu não conheço também me inspiram. Podemos ter nomes e endereços diferentes, mas com certeza temos muitas coisas em comum. E é essa busca que me encanta. O mesmo jeito de temperar a salada? A mesma mania de arrumar as notas de dinheiro na carteira, do valor menor pro maior? Escrever é como respirar pra mim. E catar as migalhas do cotidiano é nunca cansar de olhar pra vida..

Leia outras notícias do dia
Curta a nossa página no Facebook

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros