Grupo de pagode Dhadi 10 aposta em financiamento coletivo para lançar seu primeiro CD - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Estrelas da Periferia27/09/2016 | 07h01Atualizada em 27/09/2016 | 12h03

Grupo de pagode Dhadi 10 aposta em financiamento coletivo para lançar seu primeiro CD

Artistas do Belém Novo, em Porto Alegre, tocam em bares da Zona Sul, principalmente, mas também têm profissões paralelas à carreira musical.

Grupo de pagode Dhadi 10 aposta em financiamento coletivo para lançar seu primeiro CD Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Trabalhar em equipe é o negócio do Dhadi 10, do Bairro Belém Novo, em Porto Alegre. A banda existe há quase quatro anos, mas está há dois com a formação atual, que conta com Thales Cruz no reco-reco, Alamir Maciel no pandeiro, Gegê Luiz nos vocais, Leandro Rosa no cavaquinho e Renan Ribeiro no rebolo.

Confira as histórias de outras bandas que participaram do Estrelas da Periferia


Todos têm outras profissões além da música e, entre funções que vão de vendedor de shows a marceneiro, apertam as suas agendas pra conseguir tocar a carreira musical. Agora, estão produzindo um CD.

— Para lançar este trabalho, que vai se chamar Faz Meu Povo Sambar, começamos uma campanha de financiamento coletivo, para quem quiser ajudar doando algum valor em dinheiro. Além disso, usamos recursos próprios, e o CD deve ser lançado no final do ano. Nosso trabalho é sempre assim, coletivo — diz Leandro, que também trabalha produzindo shows e como corretor de imóveis.

Nesse tempo de estrada, o Dhadi 10 já tem três eventos mensais fixos na agenda, além de outros shows que surgem.

— Tocamos em bares, principalmente na Zona Sul, e em eventos particulares. Já tivemos a oportunidade de abrir um show do cantor Ferrugem, em Viamão — conta Leandro, orgulhoso.

Pra correr atrás

No repertório, além de músicas próprias, como Bye Bye, que deve ganhar um clipe em novembro, e Seis e Meia, eles apostam em covers de bandas consagradas como Exaltasamba.

— Nos inspiramos muito no pagode e no samba que era feito nos anos 1990. A formação clássica do Exalta, com Péricles e Thiaguinho, e Turma do Pagode estão entre as nossas influências — revela Gegê, que divide seu tempo entre a banda, a faculdade de Engenharia Civil e o emprego como vendedor em uma ferragem:

— A correria é louca, mas vivemos em busca do sonho da música. Vamos correr atrás da nossa carreira!

Aqui, o espaço é seu!

/// Para falar com o grupo Dhadi 10, ligue para (51) 91769988.

/// Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas em MP3 ou clipe e um telefone de contato para elana.mazon@diariogaucho.com.br.
/// Para contribuir com o financiamento coletivo, acesse o site.

Confira a canção Bye Bye:

Pitaco de Quem Entende

Nei, o percussionista do Zueira, fala sobre Bye Bye, uma das músicas da Dhadi 10:

— Dá pra sentir que eles são iniciantes. Na minha opinião, têm que seguir estudando e escutar muita música boa.

E ele explica por quê:

— São as referências musicais que fazem um bom artista. Boa sorte!

Confira aqui o som da Dadhi 10!



 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros