Guri de Uruguaiana brinca que, no Sul, até as comidas têm profissão, menos o Licurgo; entenda - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Só se fala noutra coisa24/09/2016 | 08h05Atualizada em 24/09/2016 | 08h05

Guri de Uruguaiana brinca que, no Sul, até as comidas têm profissão, menos o Licurgo; entenda

Guri de Uruguaiana brinca que, no Sul, até as comidas têm profissão, menos o Licurgo; entenda Reprodução / Reprodução/Reprodução
Nada como uma gordurinha buenacha pra alegrar o coração Foto: Reprodução / Reprodução / Reprodução

Pitaco

Buenas! Chê, um compadre meu passou o mês inteiro lá no Acampamento Farroupilha, se entupindo de costelas cheias de gordura todos os dias. Nesta sexta-feira, ele me ligou assustado, pois estava sentindo umas pontadas no peito. Eu disse pra ele relaxar, que isso era só felicidade!

É que, no Sul, nós temos o feijão tropeiro, o arroz carreteiro, o almoço executivo¿ Ou seja, até as comidas têm uma profissão, e o Licurgo, não.

Leia outras colunas do Guri

O bagual continua no clima da Olimpíada, fazendo maratona de séries e revezamento cama/sofá. Ele fica assistindo àquelas séries de zumbis, mas nem para morto-vivo ele ia servir. Se já é difícil para o Licurgo levantar da cama, imagina se levantar da tumba!

Mas eu não culpo o coitado. Afinal, o corpo do ser humano tem nada menos do que 206 ossos, 650 músculos, mais de 50 bilhões de células¿ Levantar tudo isso da cama de uma só vez é complicado demais!

Correio amoroso

Guri, eu estou saindo com um rapaz, mas acho que ele também sai com outras gurias. O que eu faço? Ísis dos Reis, de Canoas.

Olha, Ísis, tem gente que parece até a Tocha Olímpica: vai passando de mão em mão, e o fogo não se apaga! Esse bagual não vale nem a água que tu gastou tomando banho pra sair com ele. Quando ele te convidar de novo, inventa uma desculpa, diz que o teu peixe está com febre!

Tu tem que desconfiar desses baguais, assim como o caixa de supermercado desconfia de uma nota de R$ 50. Eles olham a nota de tudo quanto é ângulo.

Mas, se eu tivesse como fazer dinheiro falso, estaria comprando uma Ferrari e não Miojo na promoção!

Nas ondas do rádio

Chê, a partir de agora, tu pode me escutar na programação da rádio mais querida dos gaúchos! Tô chegando de mala e cuia na programação da Rádio Gaúcha (600 AM e 93.7 FM), a líder absoluta de audiência!

Sintoniza na 600 AM e na 93,7 FM, chê! Foto: Reprodução / Reprodução

Segundas e sextas-feiras, eu participo do programa Gaúcha Hoje, às 7h30min, e, nos sábados, do programa Supersábado, às 10h!

Causos da fronteira

Esse causo aconteceu, de fato, lá no Alegrete, com um compadre meu. O seu Leônidas chegou no boteco e foi logo dizendo pro vivente que atendia atrás do balcão:

— Me vê um copo de cachaça!

O cidadão serviu a bebida mais apressado do que cavalo de parteira. Foi então que o Leônidas abriu a guaiaca, mais tranquilo do que água de poço, e, de lá, tirou um canudinho colorido, que botou no copo.

O atendente perguntou:

— Tchê! Tu não tá grandinho pra beber de canudinho?

E o Leônidas, mais ligeiro do que lambari de sanga, respondeu:

É que eu prometi para a minha mulher que nunca mais colocaria a boca num copo de cachaça!

Vai uma pinga? Foto: Reprodução / Reprodução

Tirinha

Foto: Reprodução / Reprodução



 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros