Patricia Marx revela abusos e agressões que sofreu na época do Trem da Alegria - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Drama na infância09/10/2016 | 13h10Atualizada em 09/10/2016 | 13h10

Patricia Marx revela abusos e agressões que sofreu na época do Trem da Alegria

Cantora revelou ter sofrido com depressão por conta do assédio que enfrentou por parte de diretores, produtores e artistas quando ainda era criança e já adolescente

Patricia Marx revela abusos e agressões que sofreu na época do Trem da Alegria Marcelo Tabach/Viva,Divulgação
Foto: Marcelo Tabach / Viva,Divulgação

Aos 42 anos, a cantora Patricia Marx, ex-Trem da Alegria, fez revelações surpreendentes à revista Veja sobre abuso e agressões que sofria na época em que integrava o grupo infantil que foi um estouro nos anos 80 e 90. 

— No meu mundo de criança, tudo era mágico e suportável, mesmo com o cansaço e a exploração. O jogo de manipulação era real: uma empresária nos controlava por trás do palco, puxando-nos por meio de um cordão para nos beliscar quando saíamos da coreografia. Depois do Trem da Alegria, já na minha carreira-solo, a coisa piorou. Aos 13 anos, eu sofria abusos ferozes – contou ela.

Grupo infantil foi sucesso nos anos 80 Foto: Ver Descrição / Agencia RBS

A cantora também relatou situações de assédio na adolescência:

— Ouvi coisas tenebrosas e fui assediada sexualmente muitas vezes por produtores, cantores, artistas, diretores de gravadora... Tive nojo de mim. Isso me bloqueou. Anos depois, a ressaca viria na forma de uma depressão profunda.

Leia mais notícias sobre famosos e entretenimento 

Em uma das situações narradas pela cantora, ela recorda um diálogo com um diretor artístico:

– Ao crescer, comecei a querer gravar outros gêneros, pois sempre ouvia jazz, bossa nova, música erudita. Só que, em uma reunião com o diretor artístico, minha ideia foi desancada. "Ah, eu também queria ser loiro, alto e com um (...) desse tamanho'" disse ele, com uma menção chula ao órgão sexual masculino. Fiquei paralisada ao ouvir aquilo bem diante do meu pai. Carregaria a ferida para sempre.

 


 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros