"O poder feminino vem da autoconfiança, independe do peso", diz gaúcha que venceu o Miss Pluz Size Nacional - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Beleza daqui01/12/2016 | 07h07Atualizada em 01/12/2016 | 10h05

"O poder feminino vem da autoconfiança, independe do peso", diz gaúcha que venceu o Miss Pluz Size Nacional

Scheila Dorneles, 33 anos, faturou o concurso, no sábado, 26, e comemora a realização de um sonho, defendendo que a autoconfiança da mulherada vale muito mais do que uns quilinhos  a mais.

"O poder feminino vem da autoconfiança, independe do peso", diz gaúcha que venceu o Miss Pluz Size Nacional Marcelo Ávila/Divulgação
Foto: Marcelo Ávila / Divulgação

Natural de Bom Retiro do Sul, no Vale do Taquari, mas moradora de Xangri-Lá, a Miss Plus Size Nacional, Scheila Dorneles, ainda não viu a sua "ficha cair" por conta da vitória no concurso, que aconteceu no sábado passado, no Rio de Janeiro.

— É a realização de um sonho! — comemora a bela, 33 anos, que está na Cidade Maravilhosa com o marido, João Batista, 36, e com o filho, Nathan, 13.Ela deve participar, nesta quinta-feira, do Encontro Com Fátima Bernardes (RBS TV, 10h50min).

Foto: Marcelo Ávila / Divulgação

Ao Diário Gaúcho, a gaúcha conta que a família está orgulhosa do seu feito - na hora do anúncio da vitória, João e Nathan, que estavam lá, começaram a chorar - e entrega que o marido é só sorrisos.

— Ele vibrava muito — revela a simpática e falante miss, que, além de modelo plus size, tem um salão de beleza em Xangri-Lá.


João, Scheila e Natan: família é puro orgulho Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Conheça as candidatas ao Miss Plus Size Nacional

Sai dessa!

Na preparação em busca do título, Scheila, que pesa 95kg e tem 1,73m, afirma que não fez grandes mudanças na sua alimentação nem se submeteu a intervenções cirúrgicas. Mas ela já havia feito uma abdominoplastia (cirurgia que remove o excesso de gordura e de pele), por conta do nascimento do filho. E, ainda antes do concurso, foi vítima de preconceito - acreditem! - de mulheres.

— Para as magras, eu sou gorda. Para as gordas, sou magra. E, no meio plus, muita gente não entende. Acha que é necessário ser obesa para participar do concurso (precisa usar manequim a partir do número 46, tamanho G e ser maior de 18 anos). Já ouvi de várias modelos plus no Rio Grande do Sul que eu sou magra para esse concurso, sofri preconceito. Mas eu abstraio, sempre acreditei que as pessoas só fazem com a gente aquilo que permitimos — declara a gaúcha, que, antes da vitória, tinha 500 seguidores no Instagram. Agora, já são 2 mil pessoas acompanhando a loira pela rede social. 


Bem-resolvida com o corpo, ela acredita que o poder feminino não tem a ver com as medidas.

— Independe do peso. Tu é quem tem o poder, o controle do teu corpo, o poder de como tu pensa, de como age. Este poder vem da autoconfiança — ensina Scheila, que é assediada por homens e mulheres.

— Mesmo eu sendo casada, acontece. Quando é elogio, ok. Passou disso, eu corto. Tinha bastante (assédio) na adolescência. Mas, hoje, é diferente, é mais ousado. No geral, os homens magros me elogiam mais (risos) — comenta, falando sobre a sua preferência masculina ao estilo do maridão:

— Sempre gostei do estilo do João (ele tem 1,83m e 104kg). É alto, bonito e mais gordinho!

Qualquer preconceito, a gaúcha garante que ficou no passado. E relembra, com orgulho, de um concurso que venceu em sua cidade natal, em 1998:

— Fui princesa de uma feira da cidade. Eu já fazia sucesso. 

Leia mais sobre famosos e entretenimento


 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros