Protagonista de "Pega Pega", Camila Queiroz não se deslumbra com a fama: "Sou muito pé no chão" - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Sem deslumbramento23/05/2017 | 17h10Atualizada em 23/05/2017 | 17h10

Protagonista de "Pega Pega", Camila Queiroz não se deslumbra com a fama: "Sou muito pé no chão"

Atriz que explodiu em 2015, com a Angel de Verdades Secretas, considera que mudou muito desde a sua estreia na tevê


Foto: Maurício Nahas / Revista Joyce Pascowitch

Apenas dois anos separam Verdades Secretas (2015), sua estrondosa estreia em novelas, de Pega Pega, próxima trama das sete na qual será, mais uma vez, a personagem principal, Luíza. Camila Queiroz, 23 anos, afirma, à revista Joyce Pascowitch deste mês, que o seu rosto se transformou de lá pra cá.

Leia outras notícias sobre famosos e entretenimento


– Quando eu olho fotos minhas daquela época e as de hoje, eu falo: ¿Caramba, mudei muito¿ – avalia.

A atriz começou a trabalhar aos 14 anos, como modelo, e lembra que chegou a perder muitos trabalhos pelo rosto infantil que exibia na época.

Foto: Maurício Nahas / Revista Joyce Pascowitch

– Os estilistas me falavam que eu tinha o corpo que eles queriam, mas o rosto não vendia porque era muito infantil. Nos primeiros momentos, ficava mal. Mas, depois, eu entendi – pondera.

Camila nunca estudou para ser atriz, mas ganhou de presente uma escola nos estúdios de gravações. Drica Moraes, Marieta Severo, Elizabeth Savalla, Marcos Caruso e Irene Ravache estão entre os seus colegas de cena.

– Todos me ensinam muito – comemora.

Foto: Maurício Nahas / Revista Joyce Pascowitch

No ano passado, ela viu a sua vida pessoal virar assunto ao terminar um relacionamento antigo, com o modelo gaúcho Lucas Cattani e, logo em seguida, assumir o seu namoro com o ator Klebber Toledo. Ao ser questionada se o sucesso atrapalha qualquer relacionamento, ela é firme nas suas convicções.

– Acho que isso atrapalha a relação se a pessoa deixar atrapalhar, se o parceiro não segurar a onda, ou se a pessoa surtar com aquilo. Se você não voltar para o chão, acho que entra nessa onda. Sou muito pé no chão. Cresci com o pé na terra – avisa Camila.

Foto: Maurício Nahas / Revista Joyce Pascowitch


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros