Magali Moraes fala sobre as pessoas beijoqueiras - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Coluna da Maga17/07/2017 | 10h03Atualizada em 17/07/2017 | 10h04

Magali Moraes fala sobre as pessoas beijoqueiras

Magali Moraes fala sobre as pessoas beijoqueiras Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Sabe aquele tipo de gente que já chega beijando e não vai embora sem se despedir com farta distribuição de beijos? Adooooro!! São os beijoqueiros. Pra eles, beijar é tão natural quanto respirar. O sangue latino colabora. Raramente você vai ver um beijoqueiro americano (a menos que seja um brasileiro naturalizado). Os mais antigos vão lembrar do famoso beijoqueiro que atacava celebridades no Brasil. Acho que era um português, nunca mais ouvi falar dele. Continuará dando bitocas por aí?

Sou uma beijoqueira assumida. Por que dar só um aperto de mão se a gente pode tascar um simpático beijo? Dois ou três, conforme o costume. Vale qualquer desculpa esfarrapada pra ser uma pessoa beijoqueira. Limites? Não temos. Meu marido trabalha numa empresa americana e seguido os gringos aparecem por aqui. Quando tem confraternização com as famílias, sempre recebo a mesma recomendação: "pelamor, não vai beijar os americanos!!" Entendo e respeito as diferenças culturais. Mas é difícil lembrar na hora H. O hábito fala mais alto.

Leia outras colunas da Maga

Indireta

Beijoqueiro que é beijoqueiro se despede três vezes ao sair. E sempre disparando uma nova rodada de beijos. E são beijos estalados, daqueles de ouvir o barulho de longe. Imagina que lindo se todo mundo se cumprimentasse mais efusivamente? Só que a outra pessoa tem que retribuir, senão deixa o beijoqueiro sem graça. Falando nisso, nem todo mundo curte ganhar beijo sem pedir. Como se proteger? Inventar que tá gripado? Não é garantido que o beijoqueiro vai entender a indireta.

E as crianças que limpam os beijos que recebem? Não só limpam, como fazem cara feia. Será que um dia essas pessoinhas vão se tornar beijoqueiras? Tomara. Eu acredito que a afetividade é algo que se ensina em casa. Cumprimentar com beijo humaniza as relações. Pode até ser beijinho de madame, daqueles que mal tocam a bochecha (o que vale é a intenção). Só não pode deixar marca de batom, tá? 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros