Seu parceiro precisa "dar um tempo" de sexo após cada relação? Saiba como ajudar - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Falando de Sexo04/09/2017 | 20h00Atualizada em 04/09/2017 | 20h00

Seu parceiro precisa "dar um tempo" de sexo após cada relação? Saiba como ajudar

Leitora relata que seu marido fica com o órgão sexual machucado depois da transa

Seu parceiro precisa "dar um tempo" de sexo após cada relação? Saiba como ajudar Arte ZH/
Foto: Arte ZH

Gostaria de tirar uma dúvida. Meu marido tem um problema no freio do pênis. A cada relação sexual, o órgão fica todo machucado, como se fosse uma assadura. Ele tem que ficar uns dias sem relações, depois, volta ao normal, até a próxima vez.

Será que ele precisa de uma cirurgia ou tratamento com remédio? Aguardo a resposta, pois ele não vai ao médico, e eu estou preocupada com isso. Obrigada!


Querida leitora, o pênis é um órgão que pode ser ferido durante a atividade sexual. A lesão, assadura ou o trauma podem ser acidentais ou por manobras e ações violentas realizadas pelo indivíduo ou por um parceiro sexual.

Leia outras colunas do Falando de Sexo


Estas situações podem provocar desconforto e dor durante o ato, principalmente, em relações nas quais a mulher não está com a região genital lubrificada o suficiente.

Peça ajuda
O motivo destas assaduras deve ser avaliado por um especialista. Para um tratamento correto e eficiente, de acordo com as necessidades de cada um, a gente precisa de um diagnóstico preciso.

Para isto, apenas um médico pode ajudar o seu marido. Converse com ele e tente explicar a importância deste contato para uma vida sexual saudável e tranquila. Ele sai ganhando, pois evita este desconforto frequente, e você também, pois deixa de se preocupar com a saúde do seu amado e ganha mais segurança.

Motivos
Estas lesões com as quais ele sofre podem ser causadas por uma série de motivos: desde um freio mais curto do que a média até uma doença sexualmente transmissível. Boa sorte! 

Se você tem dúvidas ou sugestões de assunto, escreva para falandodesexo@diariogaucho.com.br


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Veja também

Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros