Conheça Mell Costa, cantora que defende os direitos das mulheres em suas músicas - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Estrelas da Periferia24/10/2017 | 07h00Atualizada em 24/10/2017 | 14h14

Conheça Mell Costa, cantora que defende os direitos das mulheres em suas músicas

Moradora do Bairro Partenon, artista começou a cantar ainda na infância, mas precisou deixar seu sonho um pouco de lado em função de questões financeiras

Conheça Mell Costa, cantora que defende os direitos das mulheres em suas músicas André Feltes/Especial
Artista de 27 anos quer dar seu recado através de suas canções Foto: André Feltes / Especial

Moradora do Bairro Partenon, a cantora sertaneja Mell Costa, 27 anos, começou sua carreira de uma maneira original. Além da música, trabalha como recepcionista em uma clínica médica de Porto Alegre. 

Aos oito aninhos, uma de suas tias, Queli, que também cantava, passou a ensaiar com ela versões de hits da dupla Sandy & Junior, que estava no auge do sucesso naquela época.

– Tomei gosto por isso e passava as madrugadas inteiras, praticamente, “obrigando” a minha irmã mais nova, Aline, a ensaiar comigo. Então, decidi entrar para o coral da igreja para ficar no meio da música e ganhar experiência – relembra Mell.

Porém, as dificuldades financeiras da família levaram-na a deixar o coral por não ter condições de custear as roupas que deveria usar nas apresentações. Mas, sem desistir da música, ela começou a se inspirar no seu ídolo, “apenas” um dos maiores nomes da história da música mundial: Elvis Presley (1935 – 1977).

– Costumo brincar que eu fui uma criança diferente, pois escutava Elvis, Legião Urbana e Johnny Cash, enquanto meus amigos estavam escutando músicas, digamos, mais apropriadas para a idade deles (risos) – diverte-se a sertaneja. 

Mensagem
Os empecilhos financeiros acabaram afastando Mell do circuito musical. Na adolescência e no começo da vida adulta, ela passou a trabalhar em diferentes áreas até se reaproximar do seu sonho, aos 20 anos. 

– Passei por várias dificuldades, mas me inspirei no exemplo de meu ídolo maior, Elvis, que encarou perrengues. Chegaram a dizer a ele que jamais seria um cantor. Então, comecei a trabalhar nas minhas composições e na mensagem que quero passar com a minha música – relembra a cantora.

Hoje, ela coleciona mais de 30 canções autorais. E cita como influências nomes como Cristiano Araújo (1986 – 2015) e Marília Mendonça. 

Direto ao ponto
Falando em canções próprias, uma de suas principais, Passou da Conta, lançada recentemente, traz uma mensagem forte em uma época em que as mulheres estão se posicionando de maneira mais contundente sobre vários temas. Um, em especial, ela escolheu como assunto da canção: a violência contra a mulher. 

– Meu sonho é poder passar a minha mensagem para um número cada vez maior de pessoas. E as minhas canções sempre têm um recado importante. Essa fala de todo o tipo de violência contra a mulher seja verbal, seja física – explica para, então, complementar, fazendo mistério sobre os planos para o vídeo que planeja gravar:

– E no clipe, que será lançado em janeiro, isso ficará mais explícito.

Pitaco de Quem Entende
O produtor artístico e musical Adriano Brasil fala sobre o trabalho da cantora.

– É bacana ver uma mulher gaúcha investindo no sertanejo e ainda com letras próprias e fortes.
A mensagem que ela passa é fundamental no momento que vivemos – diz ele, que dá uma orientação para Mell estourar na carreira:

– Como dica, a exemplo de Marília Mendonça, vale “acelerar” a música, mesmo que tenha acordes românticos.

Este espaço é seu!
/// Para falar com Mell, ligue para 98102-0401.
/// Para participar da seção, mande clipes ou áudios de músicas, sua história e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Veja também

Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros