Conheça o funkeiro que faz um belo trabalho comunitário no Bairro Mario Quintana - Entretenimento - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Estrelas da Periferia05/12/2017 | 07h00Atualizada em 05/12/2017 | 07h00

Conheça o funkeiro que faz um belo trabalho comunitário no Bairro Mario Quintana

Músico do Bairro Mario Quintana mantém produtora que oferece, de graça, a gravação de músicas para jovens funkeiros. 

Conheça o funkeiro que faz um belo trabalho comunitário no Bairro Mario Quintana Lauro Alves/Agencia RBS
MC Nego Provocante faz um belo trabalho no seu bairro Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

No Bairro Mario Quintana, na Zona Leste da Capital, reduto de constantes brigas de facções de traficantes rivais, o trabalho de um funkeiro e dançarino dá novas oportunidades a jovens da região. Aos 22 anos, Jeferson Carvalho Mendes decidiu abrir uma produtora para ajudar novos talentos a gravarem suas primeiras batidas. Há cerca de um ano, ele inaugurou a casa com esse intuito no bairro. 

Ponto de vista

De lá para cá, mais de 80 crianças e adolescentes deram seus primeiros passos no mundo musical graças a ele. E sem pagar nada.

— Para quem é da comunidade, é de graça. Claro que, para os demais serviços, a gente cobra até para viabilizar o projeto. Produzimos a música deles sem cobrar nada. A coisa anda complicada aqui, no bairro. E muitas pessoas não enxergam o lado bom da região. Quero mudar essa visão, não deixar que a gurizada cresça com uma visão maliciosa e errada — vislumbra Jeferson, batizado de MC Nego Provocante.

Dançarino 

 Sua história começou há cerca de 10 anos, quando  dançava funk e criou o grupo Os Provocantes com amigos do bairro. Na época, a turma era presença certa em eventos comunitários e nas festas de fim de ano.

— Era um trabalho muito legal! O grupo tinha uma agenda forte, a gente dançava muito (risos). E tínhamos um apelo legal com a criançada. Reuníamos bastante gente para nos ver dançar – lembra Nego, que complementa:

— Quando o grupo terminou, há cerca de três anos, eu decidi manter o Provocante no meu nome artístico para não perder esta referência. E o Nego é porque todo mundo me chama assim aqui, no bairro.

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Depois que começou a sua carreira solo, ao lado do irmão, DJ Pikeno, 20 anos, ele conta que passou a estimular ainda mais o funk consciente, aquele que fala sobre o dia a dia e a realidade vivida na comunidade. Sua próxima canção, que terá clipe, será Set do DJ Pikeno, gravada com o irmão e parceiro de palco. 

Outra canção de destaque é Quer Casar com Ele?, cuja produção foi feita por DJ Mart, um dos principais produtores do gênero no Estado. 

— Já fiz mais o estilo passinho e até ostentação. Hoje, estou para o lado do melody, funk dançante, mostrando coisas do dia a dia — define o seu trabalho.

Atualmente, MC Nego conta que, por conta da atividade na produtora e pela dificuldade do mercado, faz poucos shows por mês: cerca de dois. Mas não desanima, pois acredita que o seu nome ficará conhecido no meio do funk. 

Ele ainda pretende voltar a ensinar dança, outro dos seus projetos.

— O centro comunitário que eu dava aulas está em reforma. Assim que ficar pronto, tentarei dar mais essa contribuição para a comunidade. Era muito estimulante dar aula para a gurizada — conta o guri engajado. 

Pitaco 

O produtor musical Giovane Azenha analisa a performance de Nego Provocante:

— Além do belo trabalho que ele faz na sua comunidade, o MC começa a ganhar espaço no funk gaúcho. E sempre é bom que funkeiros contem, em suas letras, a realidade que vivem, levando funk consciente para os jovens. 






 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Veja também

Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros