Por que o "BBB 18" só teve mulheres eliminadas até agora?   - Entretenimento

Versão mobile

 

Perseguição?22/02/2018 | 07h33Atualizada em 22/02/2018 | 07h33

Por que o "BBB 18" só teve mulheres eliminadas até agora?  

Nayara foi a quarta representante do time feminino a deixar a disputa

Por que o "BBB 18" só teve mulheres eliminadas até agora?   Gshow/Reprodução
Nayara foi a quarta mulher eliminada nesta edição do "BBB 18" Foto: Gshow / Reprodução

O BBB 18 teve quatro paredões até agora. Na primeira semana, Mara enfrentou Ana Paula e acabou deixando a disputa. A berlinda seguinte teve Gleici, Mahmoud e Jaqueline, e a biomédica de Rondônia foi eliminada. Depois, foi a vez de Paula, Família Lima e Ana Paula disputarem a preferência do público, culminando com a saída da bruxa de Santa Catarina. Na última terça-feira (20), mais uma mulher caiu fora do jogo: Nayara saiu com recorde de rejeição ao enfrentar Gleice e Mahmoud. E qual foi o único elemento em comum em todos os paredões desta edição? Apenas mulheres foram eliminadas da casa.  

BBB
Ana Paula foi a terceira eliminada na disputaFoto: Gshow / Reprodução

Leia mais
"BBB 18": Nayara é eliminada com recorde de rejeição
Jéssica se irrita com choro de Lucas e dispara: "Não aguenta mais, tem uma porta lá. Tchau!"
"BBB 18": Ana Paula é eliminada da casa com recorde de rejeição

Nas redes sociais, alguns suspeitam de perseguição e sexismo – já que, fora Ayrton (Família Lima) e Mahmoud, somente mulheres foram indicadas. Outros acham exagero acusar os brothers de estarem eliminando mulheres propositalmente. É difícil saber a real intenção dos participantes em suas escolhas de afinidade dentro da casa, mas é inegável que, desde o primeiro dia, o famoso "time dos cuecas" tomou forma. Diego, Lucas, Wagner, Viegas, Caruso e Breno se fecharam em uma aliança difícil de abalar. Mahmoud até chegou a circular no meio deles, mas surgiu como opção de voto por vetar boa parte do time em uma prova do líder. Patrícia talvez seja a única mulher da casa que não receberia o voto imediato da maioria dos homens em uma escala de afinidade – ela sempre foi muito próxima de Diego.

 

Jaqueline, do BBB 18
Jéssica saiu em paredão com Mahmoud e GleiciFoto: Paulo Belote / TV Globo/Divulgação

Essa aliança logo no início do programa acabou ditando o ritmo do jogo. No lado oposto, sobraram praticamente só mulheres como opção de voto. Intencional ou não, as armas estão apontadas, e os alvos são, basicamente, o time feminino e Mahmoud. A coincidência nas eliminações chamou atenção de Ayrton, o veterano no BBB 18. "Se as mulheres não se ligarem, isso aqui vai ser festa só de homem", disse o brother em conversa com a filha, Ana Clara, e Gleice. "Estranho isso, né? Porque as mulheres são as mais inteligentes daqui", comentou Ana Clara. "Se não perceberem, dançam", completou Ayrton.

mara, bbb, paredão, santa catarina, mineira
Mara foi a primeira eliminada do realityFoto: Gshow / Reprodução

Talvez Ayrton nunca tenha falado algo tão sábio no programa. Se a sororidade não rolar já, o BBB 18 vai se transformar em uma casa essencialmente masculina. E não é por carisma dos meninos na vida real, mas como resultado da estratégia dos jogadores, visto que os queridinhos do público até agora parecem ser Ana Clara, Gleici e Mahmoud – o único homem que conquistou uma torcida consistente fora do programa. 

Homens se uniram desde o início desta ediçãoFoto: Paulo Belote / Globo

Em quase duas décadas de BBB, sete mulheres venceram o reality, enquanto 10 homens levaram o prêmio. A primeira representante do time feminino a ganhar foi Cida, na quarta edição. Depois do discurso polêmico de Tiago Leifert sobre representatividade no último paredão, quando o apresentador disse que "representatividade não leva a nada", é importante frisar que é sim, muito importante, ver pessoas levantando diferentes bandeiras no programa. Seja do feminismo, do movimento LGBTQ, da periferia, dos direitos humanos ou de outros grupos formados por minorias. 

Garantir a diversidade no reality show mais longevo da TV, sucesso de audiência, é necessário para se fazer o debate fora da tela. O respeito e a tolerância são construídos com muito bate-papo e gente extremamente diferente aprendendo a conviver junto. Afinal, já esqueceram que, no última edição do reality, se discutiu até violência contra a mulher por meio do relacionamento entre Marcos e Emilly? O BBB também traz debates essenciais para o almoço de domingo.

Os próximos passos são imprevisíveis, pois o jogo na casa muda todos os dias. Um veto, uma liderança, um anjo, um Big Fone ou uma treta podem trazer novos rumos ao BBB 18. E tomara que o caminho mude.  



 


 




 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros