"Conheci o inferno", relata MC Carol sobre sua adolescência - Entretenimento

Versão mobile

 

Experiência pessoal20/03/2018 | 07h42Atualizada em 22/03/2018 | 07h57

"Conheci o inferno", relata MC Carol sobre sua adolescência

De acordo com a cantora, foi o funk que a salvou do álcool e das drogas

"Conheci o inferno", relata MC Carol sobre sua adolescência Fernando Schlaepfer/Divulgação
A partir da própria experiência, MC Carolfez reflexão sobre diferenças sociais Foto: Fernando Schlaepfer / Divulgação

No último sábado (17), MC Carol fez um relato em uma rede social sobre a vida dela e levantou uma reflexão sobre diferenças sociais e criminalidade. Nesta segunda-feira (19), a publicação tinha mais de 12 mil compartilhamentos e 38 mil reações.

"Eu conheci o inferno", iniciou a funkeira, que disse ter optado pelo álcool ainda na adolescência depois de terem oferecido drogas para ela consumir e vender.

Leia mais
Luan Santana é criticado por corte de cabelo: "Fui chamado de cebola ambulante"
Ator Max Fercondini briga com namorado da filha de Cássia Kis
Gisele Bündchen deve lançar livro de memórias

"Com 15 anos, eu não tinha vontade de ver sol, eu acordava já era noite, bebia como se fosse refeições e, quando ia na rua fazer um bico, via crianças felizes com seus pais, subindo (saindo) da escola enquanto eu estava bêbada e com fome, via pessoas jogando pedaço de pão fora que eu queria comer", escreveu.

A cantora afirma que o funk foi sua salvação e, buscando ajudar outras pessoas, diz que costuma levar crianças da rua para a casa dela a fim de compartilhar suas experiências e conhecer a história do outro. Ela lembra de um menino negro, de 13 anos, que trabalhava nas ruas para ajudar a mãe e os irmãos e, por isso, não ia à escola.

"Ele estava no lugar errado, na hora errada, não estava armado, ele foi morto", conta. "Como tirar o ódio do coração dessas crianças, que perderam seus irmãos, primos, amigos, tios, pais e até mães?", questionou a cantora.

Ao falar das condições que geralmente levam as pessoas da periferia à criminalidade, MC Carol abordou as diferenças sociais e comentou que "nem todos os meninos e meninas, idosos e idosas de rua usam droga". "Essas pessoas querem fazer faculdade também, igual a você, querem uma casa, uma família, querem almoçar e jantar", escreveu.

 Gostou do conteúdo e ainda não é assinante? Tenha acesso ilimitado a todas notícias de GaúchaZH clicando aqui.  

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros