"Ficou mais fácil fazer música com as mídias digitais", diz Thiaguinho, que faz show em Porto Alegre - Entretenimento

Versão mobile

 

Música27/04/2018 | 10h09Atualizada em 27/04/2018 | 10h09

"Ficou mais fácil fazer música com as mídias digitais", diz Thiaguinho, que faz show em Porto Alegre

Pagodeiro se apresenta na noite desta sexta (27), no Auditório Araújo Vianna.

"Ficou mais fácil fazer música com as mídias digitais", diz Thiaguinho, que faz show em Porto Alegre Omar Freitas/Agencia RBS
Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

Ao atender a reportagem do Diário Gaúcho, na tarde do dia 24 de abril, Thiaguinho interrompeu ensaios da gravação de seu novo álbum, Tardezinha 2, e mostrou que anda em ritmo acelerado. O disco será uma sequência do projeto de mesmo nome, lançado em 2017, ano em que ele também apresentou aos fãs o álbum Só Vem!, cujo repertório ele mostra na noite de hoje, no Araújo Vianna. Mesmo estando com o Só Vem! na estrada, não descarta apresentar aos gaúchos canções do trabalho que ainda nem foi finalizado. 

— Algumas faixas devem entrar, mas não com os arranjos do novo disco. Mas, não sei. De repente, você me deu uma boa ideia (sobre mostrar as novas versões) — afirma o cantor.

No show, o cantor mostra faixas do álbum, que tem 21 músicas inéditas, como a faixa-título, gravada em parceria com Ludmilla, além de hits de outras fases de sua carreira solo, como Caraca, Muleke! e Ousadia & Alegria.

Mídias digitais a serviço do povo

Durante o papo, Thiaguinho elogiou o poder das mídias digitais e serviços de streaming no momento atual da música. Segundo ele, é mais fácil para o artista gravar suas músicas no dia de hoje. Consequentemente, de acordo com seu pensamento, as canções chegam mais rapidamente para os fãs.

— Antes, você tinha que esperar o disco ficar pronto, esperar que ele chegasse às lojas. Aí, você tinha que sair de casa, achar a loja que tivesse o determinado disco. Eu passei muito por isso, por ser de cidade do interior, não eram todas que tinham lojas de disco, e, se tivesse loja, você corria o risco de não achar o que queria — relembra o cantor, que completa:

— Agora, lançou no streaming, no YouTube, o cara já tem acesso, pelo menos a algumas faixas, de graça. E não critico a pessoa que adquiria um álbum pirata, pois o país vive um momento difícil economicamente, e não é de hoje. E o cara não tinha grana para comprar um disco de R$ 40. E acabava pagando R$ 1, R$ 2, por álbum no camelô. 

Thiaguinho enche a bola de Porto Alegre: "É um dos lugares que tenho mais admiradores. Moraria aí, sem dúvida"
Morador acompanha show de Thiaguinho de longe antes de Brasil e Equador: "Sempre fui do samba"

Sobre a expectativa para o show de hoje, o pagodeiro elogia sua relação com o Rio Grande do Sul, uma das primeiras praças, segundo ele, que abraçaram sua fase solo, que iniciou em 2012, logo após sua saída do Exaltasamba. 

— Eu amo o Rio Grande do Sul. Porto Alegre foi o primeiro lugar que aceitou minha música. E acho que muito dessa ligação se dá porque eu fui criado com muitos gaúchos (o cantor nasceu em Presidente Prudente, interior de São Paulo, mas foi criado em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, cidade que tem uma colônia forte de gaúchos). O dia que tinha mais movimento na cidade era quanto tinha Gre-Nal. E fui criado dentro de um CTG — revela. 

Noite de pagode

O quê: show de Thiaguinho

Onde: Auditório Araújo Vianna, Osvaldo Aranha, 685

Quando: nesta sexta-feira, a partir das 21h

Quanto: ingressos a R$ 75 (plateia alta lateral), R$ 85 (plateia baixa lateral), R$ 95 (plateia alta central), R$ 105 (plateia baixa central) e R$ 125 (plateia gold), à venda no site uhuu.com ou na bilheteria do local, a partir das 16h.   



 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 

Veja também

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros