"Luto não apenas por mim", diz Dona Maria, que chama atenção no cenário local - Entretenimento

Versão mobile

 

Estrelas da Periferia03/04/2018 | 07h00Atualizada em 03/04/2018 | 07h00

"Luto não apenas por mim", diz Dona Maria, que chama atenção no cenário local

Entre outros temas, rapper de Porto Alegre levanta a bandeira feminista em suas músicas. 

"Luto não apenas por mim", diz Dona Maria, que chama atenção no cenário local Andréa Graiz/Agencia RBS
Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Moradora do Bairro Jardim Sabará, na Zona Norte da Capital, a rapper Natalya Carvalho Marques, a Dona Maria MC, integrou, até outubro de 2016, o coletivo feminino do gênero Rap4Love, que chegou a abrir show de nomes de destaque, como Flora Matos e Lívia Cruz. Mas, no fim do ano passado, decidiu seguir carreira solo, para abrir ainda mais caminhos para a mulherada no rap.

Neste novo voo, Dona Maria queria usar a experiência adquirida com as antigas parcerias. Ela foi atrás de produtores para conseguir pôr na rua o seu primeiro lançamento, a faixa Cheguei na Cena, que tem um bem-produzido clipe no YouTube. 

— Até aquele momento, só quem escutava Dona Maria MC era a galera frequentava os shows do coletivo Rap4Love. Esse primeiro lançamento trata-se de uma espécie de apresentação, onde eu falo de minha história — comenta ela, que lista as principais influências do trabalho: 

— Algumas mulheres do rap nacional, como Cynthia Luz, Bivolt, Pérola Negra MC, Tássia Reis e a própria Flora.

Bandeiras fortes

Dona Maria MC comenta que nasceu em uma família evangélica e conservadora, sofreu preconceito em casa quando começou a cantar e, principalmente, por levantar a bandeira da luta feminista.

— Meu projeto fala disso, de uma mulher que lutou contra a opressão dentro de casa e se empoderou. O rap resgatou minha autoestima. Por isso, as linhas trazem reflexões pesadas e impactantes da minha vivência — relata.

Em um dos trechos da faixa Cheguei na Cena, aliás, ela brada: "Luto não apenas por mim, é por todas nós, que não somos libertas".

No próximo domingo, a artista lança a faixa Confronte-se, com clipe, em seu canal no YouTube.  A canção, ela comenta, trata de perturbações, medos e reflexões sobre a sociedade e sua vida pessoal e teve produção de Jay-Gueto, nome conhecido do gênero por aqui.

— E teve como suas principais influências MC Marechal e Síntese — completa a talentosa guria.

Pitaco:

Rafa, do grupo Rafuagi, fala sobre o som de Dona Maria MC:

— Ela é autêntica, legítima representante do rap nacional, trazendo a luta feminista nas letras e atitudes. Por meio de uma sonoridade única, tem surpreendido o público a cada lançamento. Sou fã da Dona Maria!

— Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.



 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 

Veja também

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros