Revista Playboy deixa de ser vendida em banca - Entretenimento

Versão mobile

 

Fim do coelhinho03/04/2018 | 07h21Atualizada em 05/04/2018 | 07h55

Revista Playboy deixa de ser vendida em banca

De acordo com a PBB Editora Ltda, publicação atacará em outras frentes

Revista Playboy deixa de ser vendida em banca Playboy/Divulgação
Luana Piovani foi uma das capas da revista Foto: Playboy / Divulgação

Após 42 anos de circulação no Brasil, a revista Playboy deixará de ser vendida nas bancas. Nos últimos meses, a publicação era lançada a cada três meses. De acordo com a PBB Editora Ltda, a Playboy atacará em outras frentes.

Leia mais
Donos da Playboy no Brasil são acusados de assédio sexual por modelos 
Em liquidação, Playboy de Luana Piovani é vendida por R$ 0,01
Jessika Alves garante que Playboy influenciou positivamente sua carreira

"A PBB Editora Ltda informa que reduzirá a publicação da edição imprensa a um exemplar de colecionador por ano — que será on demand, ou seja, números limitados impressos por encomenda. Assim sendo, a edição de Verão, lançada no final de 2017, põe fim a era da revista na banca e abre espaço para empenharmos nosso trabalho em outras frentes", diz o comunicado divulgado pela editora.

A PBB assumiu a publicação da Playboy no Brasil em 2015, após a Abril desistir de manter a revista em seu catálogo.

Em abril de 2017, modelos que participaram da festa de relançamento da revista Playboy no Brasil, em agosto de 2016, acusaram no Fantástico dois empresários que detêm os direitos da publicação no país de assédio sexual. Na denúncia, André Luís Sanseverino e Marcos Aurélio de Abreu Rodrigues e Silva, da PBB Entertainment, pediam fotografias das mulheres nuas e faziam propostas de cunho sexual em troca de novos trabalhos. 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 

Veja também

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros