O que esperar de "Segundo Sol", nova novela das nove que estreia hoje - Entretenimento

Versão mobile

 

ESTREIA14/05/2018 | 07h26

O que esperar de "Segundo Sol", nova novela das nove que estreia hoje

Autor do sucesso "Avenida Brasil" (2012), João Emanuel Carneiro desembarca na Bahia com elenco de peso para retratar segundas chances da vida

O que esperar de "Segundo Sol", nova novela das nove que estreia hoje TV Globo/Divulgação
Foto: TV Globo / Divulgação

Pará, Tocantins e, agora, Bahia. Segundo Sol, nova novela da Globo que estreia hoje na faixa das 21h, segue na pegada de suas antecessoras – A Força do Querer e O Outro Lado do Paraíso – e se desloca do eixo Rio-São Paulo  para o Norte-Nordeste do país para contar uma história regada a grandes amores, vinganças e, principalmente, recomeços. 

Autor do sucesso Avenida Brasil (2012), João Emanuel Carneiro volta ao horário nobre da emissora acompanhado de um elenco de peso: Giovanna Antonelli, Emilio Dantas, Deborah Secco, Vladimir Brichta e Adriana Esteves – a eterna Carminha – estão no núcleo principal do folhetim.

Leia mais
 Ministério do Trabalho notifica Globo por falta de atores negros em "Segundo Sol"
Adriana Esteves discreta, Deborah Secco empolgada e muito axé: como foi o lançamento de “Segundo Sol”
Adriana Esteves fala sobre relação com personagem de Deborah Secco em "Segundo Sol"

Embalada por uma regravação do grupo BaianaSystem para a canção O Segundo Sol, que marcou época na voz de Cássia Eller, a novela é focada nas segundas chances da vida. A história começa em Salvador, em 1999, quando o cantor de axé Beto Falcão (Emilio Dantas) está com a carreira em decadência e é dado como morto num acidente aéreo. Pressionado pela namorada, Karola (Deborah Secco), e pelo empresário e irmão Remy (Vladimir Brichta), o músico decide lucrar com a tragédia e se esconde numa ilha. Nesse lugar paradisíaco, Beto se apaixona por Luzia (Giovanna Antonelli), uma mulher simples e batalhadora. Mas o que era para ser um grande amor vivido intensamente se transforma em um relacionamento complicado: as armações de Karola e sua mentora, Laureta (Adriana Esteves), mudam os rumos do casal. 

Separados por conta das armadilhas das vilãs, eles seguem caminhos de vida distintos – Luzia, inclusive, é obrigada a deixar o país e a abandonar os filhos. A trama avança quase 20 anos no tempo e salta para os dias atuais, mostrando a personagem transformada: de volta ao Brasil para retomar a vida e reconquistar sua família, ela agora é uma DJ e atende pelo nome de Ariella.

– Falo que faço uma mulher, não uma mocinha. É guerreira, de fibra, mãe, leoa. Vai para o fundo do poço, sofre muitas perdas – disse Giovana no lançamento da novela nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro.

A força de Luzia/Ariella está na vontade de se reaproximar dos filhos. Na trama, as questões familiares – do amor incondicional a graves problemas de relacionamento – são tratadas em diferentes núcleos. O motorista Roberval (Fabrício Boliveira) descobre ser filho do patrão e se afasta da mãe, a empregada Zefa (Claudia Di Moura), e de seu pai, Severo (Odilon Wagner). Já a família Falcão, capitaneada por Naná (Arlete Salles) e Dodô (José De Abreu), também precisa aprender a lidar com as diferenças entre seus filhos Beto, Remy, Ionan (Armando Babaioff) e Clóvis (Luis Lobianco). Deborah Secco participa por tabela do clã Falcão, já que é namorada de Beto – e amante de Remy. Maior vilã da carreira da artista desde a polêmica Íris, de Laços de Família (2000), Karola não parece estar tão interessada assim em criar raízes, explica a atriz:

Laureta (Adriana Esteves) e Karola (Deborah Secco)
Foto: TV Globo / Divulgação

– Amor, família e elos são temas importante na vida das pessoas e a novela vai tratar disso. Existem amores tortos, claro. No meu caso, a Karola é má mesmo, interesseira, nada justifica o que ela faz. Na verdade, ela quer é ser rica.


Elenco mergulhou na cultura nordestina

As gravações de Segundo Sol, novela com direção geral de Dennis Carvalho e Maria de Médicis, começaram em março pelo sul da Bahia. Por mais de um mês, os atores e a produção ficaram imersos na cultura local – as cenas contam com cenários como Porto Seguro, Trancoso e Salvador. Sobre o sotaque, Dantas revela que buscou influências na sua própria história: 

– Namorei com uma baiana algum tempo, então lembrei de muitas coisas que ela falava. Peguei Raulzito (Raul Seixas), que era um ídolo meu e já era ligado no sotaque dele. O meu personagem também canta de fato. Axé Pelô é o grande sucesso dele e tem a minha voz mesmo.

Justamente por ter o Estado nordestino como cenário, uma polêmica tomou conta das redes sociais desde os primeiros teasers da novela: a falta de negros na trama que se passa em um dos lugares com o maior número de pessoas autodeclaradas negras ou pardas do país. A Globo emitiu nota sobre o caso e afirmou que "de fato, ainda tem uma representatividade menor do que gostaria e vai trabalhar para evoluir com essa questão ". Um dos únicos negros do elenco, Boliveira se posicionou sobre a discussão:

– Acho que o público está propondo esse diálogo de forma inteligente. Estão querendo falar sobre representação. É importante.

Ainda integram o elenco nomes como Chay Suede, Luisa Arraes, Francisco Cuoco, Thalita Carauta, Roberta Rodrigues, Cássia Kis, Caco Ciocler e Fabíula Nascimento.

* A repórter viajou a convite da Globo


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros