Esqueça o medo e o preconceito na hora da intimidade - Entretenimento

Versão mobile

 

Falando de Sexo05/06/2018 | 19h00Atualizada em 12/06/2018 | 13h49

Esqueça o medo e o preconceito na hora da intimidade

Esqueça o medo e o preconceito na hora da intimidade Arte ZH/
Foto: Arte ZH

Pessoal, as notícias das novelas e a coluna de vocês são muito boas. Meu marido, às vezes, pede que eu faça carinho no bumbum dele. Isso quer dizer que ele possa ser homossexual?

Sim e não. Se ele só estiver querendo que você (quem ele deseja) explore uma das regiões que dá muito prazer aos homens, não. Poucos permitem isto pelo preconceito de pensar que “é coisa de homossexual”. 

Leia outras colunas do Falando de Sexo

A região anal é rica em terminações nervosas e, portanto, muito sensível ao toque sexual. O fato de querer que a mulher acaricie não significa que um homem é mais ou menos viril. É apenas mais uma forma de sentir prazer.

Segundo o psicólogo Oswaldo Rodrigues Jr, homens que têm dúvidas sobre as próprias preferências sexuais, provavelmente, terão preocupações sobre ser ou não ser heterossexuais com estas brincadeiras. Mas não se pode ignorar que existem aqueles que sentem vontade de transar com outro homem e ficam somente no plano da fantasia. 

Diálogo
Às vezes, estas questões também incomodam as esposas, como você, que colocam em dúvida a masculinidade do parceiro caso ele tome a iniciativa de propor esta carícia. 

Se essa forma de obter satisfação passa a ser frequente, a espontaneidade para outras formas de obtenção de prazer fica comprometida e corre-se o risco de o casal entrar em conflitos por conta desta situação. 

Por isso, é importante conversar bastante antes de tornar realidade algumas fantasias.

Se você tem dúvidas ou sugestões de assunto, escreva para falandodesexo@diariogaucho.com.br

 Cupons de descontos e promoções no ClicRBS cupons 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 

Veja também

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros