Suspeito de aplicar golpe do visto tem identidade divulgada e é considerado foragido - Entretenimento

Versão mobile

 

Estelionato07/06/2018 | 08h35Atualizada em 07/06/2018 | 08h35

Suspeito de aplicar golpe do visto tem identidade divulgada e é considerado foragido

Responsável por agência de turismo do centro de Porto Alegre que teria lesado pelo menos 19 vítimas tem prisão preventiva decretada

 

Breno Leal Berto, 55 anos, teve prisão decretada após ser apontado por aplicar golpes pela empresa EB Vistos Foto: Polícia Civil / Divulgação

Após revelar que pelo menos 19 vítimas que tentavam obter visto norte-americano em Porto Alegre foram lesadas em mais de R$ 22 mil, a Polícia Civil divulgou nesta quarta-feira (6) o nome do empresário investigado e da agência envolvida no esquema. Breno Leal Berto, 55 anos, tem prisão preventiva decretada e é considerado foragido. A empresa suspeita é a EB Vistos, localizada na Rua Vigário José Inácio, no Centro de Porto Alegre.

O delegado Marco Antônio de Souza, da Divisão Judiciária e de Operações (DJO) e responsável pela investigação, diz que um inquérito foi instaurado após ser procurado pelo próprio consulado, que nesta semana completa um ano de funcionamento na Capital. Segundo ele, a EB Vistos solicitava os valores de forma antecipada para aplicar os golpes, se aproveitando da falta de informações ou da urgência de algumas pessoas nas viagens. 

Leia mais
Pelo menos 19 pessoas que solicitaram visto para os EUA em Porto Alegre são vítimas de golpes
Visto de turista para norte-americanos será emitido em até três dias
O que mudou para os brasileiros que tentam ir aos EUA no primeiro ano de Trump

— Ele prometia facilitar a obtenção do visto e assim pedia pagamento antecipado de taxas — diz Souza.

Berto é apontado no esquema como responsável por falsificar e também por não entregar os documentos necessários para as vítimas. Sem o retorno da empresa, as vítimas se deslocavam para o consulado na esperança de uma entrevista. No entanto, acabavam descobrindo que tudo não passava de um golpe e que não tinha nenhum agendamento marcado. Souza lembra que a Embaixada e os consulados são as únicas fontes autorizadas sobre o processo de solicitação de vistos. Além disso, ele divulga que qualquer vítima pode procurar diretamente a DJO pelo telefone (51) 3288.2296. Somente na manhã de hoje, até às 10h30, cerca de 15 pessoas procuraram a polícia dizendo ter sido vítimas desta agência. Souza disse que todas irão depor nos próximos dias. GaúchaZH ainda tenta contato com a empresa investigada ou com representantes para contraponto.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 

Veja também

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros