Aos 92 anos, morre Beatriz Segall, a eterna Odete Roitman - Entretenimento

Versão mobile

 

Obituário06/09/2018 | 08h08

Aos 92 anos, morre Beatriz Segall, a eterna Odete Roitman

Atriz esteve internada no Hospital Albert Einsten em agosto deste ano

Aos 92 anos, morre Beatriz Segall, a eterna Odete Roitman Ver Descrição/Ver Descrição
Na Globo, Beatriz Segall participou de novelas como "Barriga de Aluguel" e "O Clone", além do papel histórico em "Vale Tudo" Foto: Ver Descrição / Ver Descrição
GaúchaZH
GaúchaZH

A atriz Beatriz Segall morreu nesta quarta-feira (5), aos 92 anos. Com mais de 70 anos de carreira dedicada ao teatro e à TV, a atriz estava internada no Hospital Albert Einsten, em São Paulo, em agosto deste ano, por causas não divulgadas. Ela havia recebido alta no dia 21 de agosto.

Em 1988, Beatriz Segall viveu o grande papel de sua carreira, a vilã Odete Roitman.  Após 192 capítulos da novela Vale Tudo, a personagem morreu com três tiros e tornou famosa a pergunta "Quem matou Odete Roitman?". A novela, sucesso à época, pode ser vista atualmente no canal de TV à cabo Viva, que a reprisa diariamente.

Leia mais
O dia em que Batriz Segall chorou na TVCOM por causa da Odete Roitman
"Gosto do Brasil, mas de longe": relembre frases polêmicas de Odete Roitman

–  Odete Roitman é uma personagem que vai ficar na história; não por um valor meu, mas por tudo o que a novela reuniu. Até hoje eu sou chamada de Odete na rua. Em Cuba me chamaram de Dona Odete. Sempre me encabulo quando tenho que falar da Odete Roitman, fico com medo de parecer pretensiosa, e tenho certeza de que não sou, mas acho que ninguém na televisão brasileira recebeu um presente tão grande como esse – disse a atriz ao site Memória Globo.

Nascida em 1926, filha de professores, Beatriz Segall iniciou a carreira no teatro, ao lado de outras atrizes iniciantes à época, como Fernanda Montenegro e Nicette Bruno. Antes de alcançar sucesso, chegou a estudar teatro e literatura na França e ficar 14 anos afastada dos palcos, como dona de casa. Seu primeiro contato com a TV foi em 1950, na TV Tupi. Atuou em longa-metragens como  Cléo e Daniel (1970), de Roberto Freire, e À Flor da Pele (1976) e O Cortiço (1978), de Francisco Ramalho. 

A atriz estreou na Globo em 1978, interpretando a ambiciosa Celina em Dancin’ Days, de Gilberto Braga. Depois ainda participou de obras como Água Viva, Barriga de Aluguel e O Clone. A última participação da atriz na TV foi na série Os Experientes, há quase três anos. Mais informações em breve.

  

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros