Assédio sexual: ligue o sinal de alerta! - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Falando de Sexo25/09/2018 | 20h00Atualizada em 25/09/2018 | 20h00

Assédio sexual: ligue o sinal de alerta!

Se você identificar este tipo de situação, deve reagir de maneira adequada. Quando uma vítima não faz nada, o problema, geralmente, continua e até piora.

Assédio sexual: ligue o sinal de alerta! Reprodução/Reprodução
Foto: Reprodução / Reprodução

O que fazer se estou sofrendo assédio sexual? Como posso saber se estou sendo assediada, ou se é só brincadeira, e eu é que sou desconfiada? 

Assédio sexual inclui qualquer comportamento sexual indesejado, como tocar ou até mesmo fazer comentários de conotação sexual. Mas, às vezes, pode ser difícil perceber a diferença entre brincadeira, flerte  e o próprio assédio. 

Se você identificar este tipo de situação, deve reagir de maneira adequada. Quando uma vítima não faz nada, o problema, geralmente, continua e até piora! 

Por isso, sugerimos que você não fique calada. De modo calmo, mas claro, diga à pessoa que você não vai tolerar este tipo de comportamento.

Se alguém tocar em você de um jeito que a deixa desconfortável, vire para esta pessoa na hora e diga: “Nunca mais encoste em mim!”. Isto, geralmente, pega o outro de surpresa. 

Mas, se o outro insistir,  não desista de se impor.  Mostre-se madura e confiante do que quer. 

Nada de insegurança

Se ameaçar agredir você, saia de perto dele o mais rápido possível e busque a ajuda de alguém de confiança. Evite reagir às insinuações com uma brincadeira ou com um sorriso. Deixe claro, pela sua reação e pela expressão facial, o tipo de comportamento que você tolera ou não tolera.

Tente não transmitir insegurança. Dificilmente, a pessoa vai parar se você não for clara. 

Por isso, seja firme! E não ria de piadas picantes nem participe de conversas sobre sexo quando não se sente à vontade com o tema ou com aquela pessoa. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros