Luana Piovani: "Eu me sinto à parte do rebanho, mas não me sinto polêmica" - Entretenimento

Versão mobile

 

Entrevista02/11/2018 | 11h11Atualizada em 02/11/2018 | 11h11

Luana Piovani: "Eu me sinto à parte do rebanho, mas não me sinto polêmica"

Atriz está em Porto Alegre neste final de semana com a peça Ele Ainda Está Aqui

Luana Piovani: "Eu me sinto à parte do rebanho, mas não me sinto polêmica" Webert Belicio/AgNews
¿Acho que eu tenho coragem de dizer o que penso¿ Foto: Webert Belicio / AgNews

Em três sessões, os gaúchos terão a oportunidade de acompanhar Luana Piovani além da internet, longe das polêmicas em que, seguidamente, se envolve com seus seguidores. Na peça Ele Ainda Está Aqui, ela interpreta  Bárbara, que conhece seus dois irmãos, Miguel  (Thelmo Fernandes) e Francisco (Omar Menezes), a partir da morte do pai, um rico empresário que, apesar de conquistar o mundo, se fez ausente na criação dos filhos. Com humor, o espetáculo observa as expectativas das personagens a partir de suas ambições. Retrata, ainda, a disputa pela herança do pai, além das lembranças de cada um sobre a ausência da figura paterna. Por e-mail, Luana fala sobre a peça,  o seu posicionamento forte nas redes sociais e a exposição de sua intimidade.

Já passaste por alguma situação parecida com a da peça? Em tempos de tanta intolerância, como tu enxergas as relações familiares?

Nunca passei por nenhuma situação parecida, para minha sorte. Acho que família é sempre um lugar onde a gente tem muita cumplicidade, muito amor, mas, também, em alguns lugares, nada disto acontece, pois família, a gente não escolhe. E nem sempre a gente tem identificação com as pessoas que nos cercam. Eu, na minha família, tenho muito apoio, muita cumplicidade.

Luana Piovani, Pedro Scooby e os três filhos: Dom, Bem e Liz
Em família, cumplicidadeFoto: Instagram / Reprodução

E como trabalhas estas questões, relações entre familiares e possibilidade de discórdia, com os teus filhos (ela e o surfista profissional Pedro Scooby são pais de Dom, seis anos, e dos gêmeos, Liz e Bem, três)?

A gente não fala exatamente sobre isto, a gente vive a nossa família. Somos unidos. Têm coisas que as crianças fazem mais comigo, coisas que fazem mais com o Pedro, mas assistem ao nosso amor. A nossa casa tem uma harmonia muito boa, e é onde a gente fala e ouve o que eles têm a dizer. Então, acho que este conceito de família com diálogo e amor é bastante positivo.

Peça Ele Ainda Está Aqui, com Luana Piovani, Thelmo Fernandes e Omar Menezes
No palco com Thelmo Fernandes (E) e Omar MenezesFoto: Divulgação / Divulgação

Como é a tua relação com o teatro?

Olha, é a coisa que eu mais gosto de fazer. Então, todas as vezes em que eu tenho a possibilidade de exercitar este meu dom e este meu amor, para mim, é muito, muito especial. Eu tenho orgulho de convidar as pessoas para assistir a esta peça. Acho que é entretenimento com reflexão, o que é bastante especial.

ele ainda está aqui, luana piovani, peça.
Luana em ação na peçaFoto: Leonardo Zingano / Divulgação

Seguidamente, tuas fotos ousadas, ou do Scooby, publicadas nas redes sociais, além de declarações, causam polêmica. Como avalias isto? Achas que a população brasileira ainda é muito preconceituosa e, de certa maneira, atrasada?

Acho que, aqui, no Brasil, "polêmica" é uma palavra que virou sinônimo de "diferente". Eu acho que polêmica é outra coisa. Acho que polêmica é a quantidade de gays que sofrem violência no nosso país, acho que polêmica é a atitude de políticos não sabendo responder a questões importantes sobre coisas que eles tinham que ter feito, ou que fizeram. Acho que, no Brasil, as pessoas usam a palavra "polêmica" de uma maneira equivocada e acabam me chamando de "polêmica" só por eu não fazer coisas consideradas óbvias, comuns. Eu me sinto um pouco à parte do rebanho, mas eu não me sinto polêmica. Acho que esta é uma faixa que as pessoas tentam me dar, mas é que o Brasil é cheio de faixas, as pessoas adoram colocar rótulos e distribuir codinomes. Só acho que eu tenho coragem de dizer o que penso, porque eu não me sinto agredindo ninguém. O que eu penso só acontece dentro da minha casa. Então, eu não estou agredindo ninguém. E acho bom a gente ouvir coisas que não sejam só o que a gente ouve dentro de casa, porque a porteirinha tende a ir pra mais longe, as fronteiras tendem a se ampliar.

O quê: Ele Ainda Está Aqui
Quando: hoje e amanhã, às 21h. No domingo, às 19h
Onde: Teatro Unisinos, Avenida Nilo Peçanha, 1.600
Quanto: R$ 70. Quem comprar um ingresso e doar um quilo de alimento não paga a segunda entrada. Atenção! A promoção só vale para quem adquirir os bilhetes no teatro! Demais pontos de venda: blueticket.com.br, nas lojas Multisom da Rua dos Andradas, Bourbon Shopping Ipiranga, Praia de Belas Shopping, Shopping Iguatemi e BarraShopping Sul, além da bilheteria do local, a partir das 16h (hoje e amanhã), e, às 14h, no domingo.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros