Conheça a Projeto Gênesis, banda gospel que vem chamando atenção no cenário local - Entretenimento

Versão mobile

 

Estrelas da Periferia04/12/2018 | 07h00Atualizada em 04/12/2018 | 07h00

Conheça a Projeto Gênesis, banda gospel que vem chamando atenção no cenário local

Grupo de Canoas prepara lançamento de EP e tem músicas executadas em rádios do gênero

Se há uma característica que poderia definir o vocalista da banda gospel Projeto Gênesis esta seria o ecletismo. Originalmente, Rafael Oliveira, morador de Canoas, começou mesmo na música gospel. Porém, entre 2005 e 2006, integrou o grupo Na Fissura, que venceu o concurso Chance – Etapa Pagode, em 2006, promovido pelo Diário Gaúcho, para dar espaço a novos talentos de Porto Alegre e da Região Metropolitana. 

 CANOAS, RS, BRASIL, 03/12/2018 - Estrelas da Periferia: banda Projeto Gênesis. (FOTOGRAFO: JÚLIO CORDEIRO / AGENCIA RBS)
Rafael (à frente): do pagode e sertanejo para Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

– Foi uma época muito legal, fizemos muitos shows durante um bom tempo. Mas, neste período, fui convidado para entrar no universo da música sertaneja. E aceitei, passando a formar a dupla Rafael & Rodrigo Phell – relembra.

Depois, entre 2009 e 2010, integrou o Novament’s, que mistura black music e charm, até que sentiu algo mais forte, que indicava que deveria voltar para a sua origem.

– Eu gostava muito de sertanejo e de pagode, mas, em 2013, larguei tudo e voltei para a igreja. Era quase uma missão. Comecei a dar aulas de música em uma escola, quando conheci o André (Sante), tecladista da formação anterior do grupo, e o Mateus (Arroyo, que toca guitarra na banda). Sempre que eu ia cantar em alguma igreja, chamava os dois para ir comigo – explica o vocalista. 

Dali em diante, os músicos seguiram se apresentando de maneira mais informal. Até que, em 2016, encontraram os parceiros que, atualmente, integram o grupo, e começaram a pensar de maneira mais séria em formar um conjunto gospel. 

No começo de 2017, surgia, então, o Projeto Gênesis, focado no segmento gospel. Em pouco mais de um ano, o grupo ganhou destaque no meio: conseguiu emplacar músicas em algumas das principais rádios que tocam o estilo no Estado e lançou um clipe: da música O Meu Deus É Bom. Com uma bela produção, o vídeo já tem mais de 49 mil visualizações no YouTube e é o ponto de partida do primeiro EP do grupo, que deve ser lançado em 2019. 


Ao falar sobre o retorno às origens, Rafael garante que está realizado:

– Eu sempre fui cristão, só tive um tempo fora da igreja, mas a mudança foi porque eu tenho a necessidade de estar em contato com Deus pela música.

Ainda integram o Projeto Gênesis Nyll Nogueira (vocal), Darwin Martinez (vocal), Douglas Mattos (bateria), Nilson Ribeiro (teclado) e Fernando Borges (baixo).

Pitaco de Quem Entende 

Adriano Brasil, produtor artístico, fala sobre o som do Projeto Gênesis:

— Interessante verificar que o grupo usa influências da experiência do vocalista, que já integrou banda de pagode. O som deles, mesmo tendo as características das letras da música gospel, de adoração a Deus, usa, na parte instrumental, vários elementos do pagode e da black music. 

É legal ressaltar que o clipe de O Meu Deus É Bom tem uma excelente produção, digna de grandes grupos do país. 

Aqui, o espaço é todo seu

— Para falar com a banda, ligue para 9282-0724.

—Se quiser participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros