Conheça os riscos de fazer a chamada "tabelinha" - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Falando de Sexo02/04/2019 | 16h35Atualizada em 02/04/2019 | 16h35

Conheça os riscos de fazer a chamada "tabelinha"

Embora esse método seja comum, sempre é importante repensar o ato de fazer sexo sem preservativo. 

Lucia Pesca e Andrea Alves

Não tomo pílula. Se eu fizer sexo sem camisinha quatro dias antes da menstruação, corro o risco de ficar grávida?

falando de sexo, novo card.
Foto: Reprodução / Reprodução

Querida leitora, o tempo e o ciclo de cada mulher precisam ser analisados de acordo com o período de ovulação de cada uma. Se é regular, então, é pouco provável que ela engravide nesse período, porque não está no período fértil. Se a mulher apresentar um ciclo menstrual mais curto e ovular mais precocemente, ela poderá engravidar enquanto ainda estiver menstruada.

No seu caso, a menstruação é a única forma que você tem de “controlar” se está grávida ou não. Se a mulher apresenta um ciclo menstrual regular, ou seja, com intervalo de 28 dias entre um e outro, a ovulação pode ocorrer, aproximadamente, 14 dias após o início da menstruação (primeiro dia do ciclo). 

Leia outras colunas

Entenda

O método que se baseia no cálculo dos dias em que provavelmente estará mais apta a engravidar, caso tenha relações sexuais desprotegidas,é chamado de tabelinha.

A ovulação é o processo em que o ovário libera o óvulo para uma possível gestação. O período fértil compreende o espaço de dois dias antes e dois dias após a ovulação e, nesta fase, a mulher tem maiores chances de engravidar. Só engravidamos no período fértil porque o óvulo tem uma duração de até 48 horas. Por isso, existe esse intervalo de tempo. Assim, é muito importante ter controle do ciclo menstrual para saber se há chances ou não de ficar grávida, mas também é preciso prestar muita atenção aos sinais de seu corpo. 

Recomendamos repensar o ato de fazer sexo sem preservativo. Nunca tenham relações sexuais sem proteção, visto que é muito comum o contágio de doenças. Às vezes, nem o próprio parceiro sabe se é portador de algum vírus.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros