Paula Fernandes diz que escreveu "Juntos e shallow now" em duas horas: "Se não gosta, não entra no meu perfil" - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Hit do momento23/05/2019 | 13h19Atualizada em 23/05/2019 | 13h19

Paula Fernandes diz que escreveu "Juntos e shallow now" em duas horas: "Se não gosta, não entra no meu perfil"

Cantora defende a licença poética e disse que a versão original foi "paixão à primeira vista"

Paula Fernandes diz que escreveu "Juntos e shallow now" em duas horas: "Se não gosta, não entra no meu perfil" Reprodução/Instagram
Paula Fernandes: "Tenho licença poética" Foto: Reprodução / Instagram
GaúchaZH
GaúchaZH

A cantora Paula Fernandes sabe que Juntos, versão em português de Shallow, é um sucesso fora da curva. Em entrevista ao G1, a artista disse que compôs a faixa em duas horas, logo após o aniversário da promotora de eventos Carol Sampaio, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Além disso, ela antecipou que está preparando novas músicas em inglês adaptadas para o português.

Um dos pontos que mais chamou a atenção das redes sociais é o trecho "juntos e shallow now".

— Tenho a licença poética de me expressar dessa forma. E todo mundo esquece que tem um contexto do início da música que é muito profundo, quando fala sobre "colar os nossos pedaços". Aí entrou o meu dom criativo, e eu tenho muito orgulho disso. Como eu digo: se não gosta, não entra no meu perfil — disse Paula ao G1.

Logo após escrever a canção completa, ela enviou para o empresário Marcelo Maia, que a questionou sobre manter o trecho. Paula defende que a frase "é muito forte" e que não se trata de uma tradução, e sim de uma versão adaptada: 

— O debate por telefone com eles foi manter ou não a palavra "shallow". Para mim, ficou claro que deveria manter. Até para as pessoas ouvirem o verso que ficou tão famoso. Eu tentei colocar palavras em português, mas não ia funcionar para mim. Completei com a palavra que é o nome da música, que é forte. E o "now" terminando a frase. Musicalmente ficou perfeito.

Além disso, ela frisa que a música não tem o objetivo de ser uma comparação, pois "é um tributo".  

— Obviamente alguém não ia gostar. Assim como muita gente abraçou, e todo mundo cantarola. Fui reconhecida todos esses anos por um trabalho muito bem feito. Não dá para agradar a todo mundo. O Almir Sater diz que contra boas obras não há argumentos. Eu não queria comparar. Foi uma coisa que ficou suave.

Nos próximos meses, a cantora deve lançar novas adaptações de faixas em inglês para o português, sendo que uma delas é "bem conhecida". 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros