Do sertanejo ao pancadão: conheça Emic Dimaria Jr. - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia09/07/2019 | 07h00Atualizada em 09/07/2019 | 07h00

Do sertanejo ao pancadão: conheça Emic Dimaria Jr.

Ainda na adolescência, cantor migrou para o funk, gênero musical que anda de mãos dadas com a sua realidade.

Do sertanejo ao pancadão: conheça Emic Dimaria Jr. Andréa Graiz/Agencia RBS
Funkeiro mora em Eldorado do Sul há cerca de um mês Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Quando tinha 13 anos e estudava no Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos, em Alvorada, onde morava, Marcos Aurélio Silva de Oliveira Junior era alertado por colegas e professores que tinha talento para a música e para a composição. 

Na ocasião, o adolescente começava a dar os primeiros passos no universo artístico, soltando a voz em sucessos do sertanejo, nas festas e eventos da cidade.

10 anos de Estrelas da Periferia: conheça quatro destaques que fizeram sucesso regional e até nacional

E, mesmo tão jovem, já teve uma responsabilidade de adulto, ao ser convidado para compor o hino do colégio.

— Como eu já cantava, seguidamente, em festinhas e bailes, o pessoal da escola ficou sabendo e me convidou para compor e cantar o hino. 

Foi uma experiência diferente. Achei que isso era coisa de músico mais veterano – lembra Emic Dimaria Jr., atual nome artístico de Marcos, 23 anos, que mora no bairro Itaí, em Eldorado do Sul, há cerca de um mês.  

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Bom de rima

Aos 15 anos, quando amigos lhe disseram que, além de cantar, fazia boas rimas, ele decidiu migrar para o funk, gênero que começava a crescer na época. E passou a chamar atenção fazendo shows em bailes. 

— Sempre quis cantar um pouco da minha realidade e acho que o funk é o gênero que mais se aproxima deste objetivo – afirma o músico.

Então, Emic começou a investir no funk ostentação, ficou conhecido na Região Metropolitana e gravou canções como Eu Cheguei no Baile, que teve produção de um dos nomes mais fortes do funk local: o DJ Mart. Até que, em julho do ano passado, um acontecimento mudou sua vida: o nascimento de seu primeiro filho, Miguel, que completa um ano no dia de 19 de julho.

— Acabei dando uma diminuída nos shows. É um momento especial, incrível. Agora, quero mesclar as canções do período ostentação com algumas mais românticas — anuncia Emic. 

Enquanto vê o pequeno Miguel crescer, o funkeiro trabalha como letrista, fazendo desenho em fachadas e criando logotipos, mas segue compondo novas canções e pretende retomar suas apresentações o quanto antes. 

— Estou retomando os contatos, quero mostrar meus novos trabalhos, tanto as canções de ostentação quanto as românticas, para voltar a fazer shows na Região Metropolitana. 

Mas, no futuro, não descarto fazer rap ou algum tipo de música que me faça alcançar um público maior, com uma mensagem que chegue a pessoas de diferentes idades – planeja o funkeiro. 

Mostre seu trabalho por aqui

— Para falar com o músico, ligue para 98320-1311.

— Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros