VÍDEO: Do futevôlei para as baladas, conheça o grupo Balançaí - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Estrelas da Periferia02/07/2019 | 07h00Atualizada em 02/07/2019 | 07h00

VÍDEO: Do futevôlei para as baladas, conheça o grupo Balançaí

Grupo de Canoas, que começou a carreira se apresentando em locais inusitados, passa a chamar a atenção do mercado de casas noturnas.

Com integrantes dos bairros Estância Velha, Mathias Velho, Niterói, Igara e Guajuviras, em Canoas, o grupo Balançaí surfa na onda de uma das práticas que vem fazendo sucesso na Capital e na Região Metropolitana: o futevôlei. Porém, você deve estar aí pensando: mas o que uma banda de pagode tem a ver com esse esporte? Cássio, violonista da Balançaí, formada há dois anos, explica.

— A gente começou o grupo como boa parte dos demais, em festas de aniversários de amigos e parentes. Um belo dia, fomos convidados para tocar em uma quadra de futevôlei, em um evento que ia rolar lá — conta o músico, que complementa:

 CANOAS, RS, BRASIL, 30-06-2019: Banda de pagode Balançai, em quadra de futevôlei, em fotos para a seção Estrelas da Periferia do Diário Gaúcho (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Variedades).Indexador: Felix Zucco
Grupo começou a chamar atenção em shows em quadras de futevôleiFoto: Félix Zucco / Agencia RBS

— Tinha bastante gente, a história se espalhou, e acabamos chamando a atenção de muitos contratantes. Ficamos até surpresos! Não sabíamos que tanta gente jogava futevôlei em Porto Alegre e na Região Metropolitana.

 Média alta de shows

Depois da estreia, Cássio comenta que outros empresários passaram a se interessar pelo trabalho do grupo:

— Em seguida, o dono de outra quadra, de Porto Alegre, nos chamou para fazer show. Depois, foi o dono de uma quadra de Cachoeirinha. Eles fazem eventos, e a galera que está jogando futevôlei fica no local. E rola um clima muito legal.

Repertório variado

Nos shows, a banda apresenta um repertório variado que mescla, além de pagode, claro, versões para sucessos da música sertaneja e do pop, ancoradas no vocal qualificado de Henrique.

— Acredito que ele é um dos nossos diferenciais. Para muitos, um dos melhores da região – afirma Cássio.

Com a ajuda dos shows nas quadras, a banda despertou a atenção dos donos de casas noturnas, onde passaram a tocar com frequência – hoje, a Balançaí faz de 15 a 20 shows por mês, em espaços conhecidos de Porto Alegre e da Região Metropolitana. 

Agora, o grupo começa a pensar no lançamento de músicas próprias para consolidar seu nome no meio do pagode.

– Nossa ideia principal não era ir para a noite tocar em casas noturnas tão rapidamente. Mas tudo acabou acontecendo muito rápido – comenta Cássio.

Atualmente, a banda está em estúdio, gravando a sua primeira faixa autoral. Nos próximos meses, a ideia é lançar um EP, composto somente de faixas autorais. 

Ainda integram o Balançai Juliano Grejis (pandeiro), Felipe Ferreira (reco-reco), Henrique Leandro (cantor), Gregor Alves (rebolo e voz) e Charles (cavaco).

Aqui, o espaço é todo seu

— Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

— Para falar com o grupo, ligue para 99304-5450.

Pitaco de Quem Entende 

Juninho PC, vocalista do Pura Cadência, fala sobre o som da Balançaí:

– A banda é boa, vocalista bem afinado, a percussão é muito boa, a harmonia também se destaca. Assistindo a alguns vídeos deles, é possível notar que o grupo é bem organizado. Musicalmente falando, isso faz muita diferença.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros