Som autoral com pitada de romantismo: é o pagode Black na área! - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Estrelas da Periferia27/08/2019 | 09h43Atualizada em 27/08/2019 | 09h43

Som autoral com pitada de romantismo: é o pagode Black na área!

Guris de Esteio se inspiram em nomes consagrados, como Dilsinho e Ferrugem, mas querem reforçar o estilo próprio da banda.

Som autoral com pitada de romantismo: é o pagode Black na área! Félix Zucco/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Amigos de infância e naturais de Esteio, Ronei (pandeiro), 35 anos, Douglas (violão), 27, Jonatas (surdo), 24, Walisson (vocais), 24, e Rafael (cavaquinho), 36, resolveram juntar  suas referências musicais para criar um som autoral. 

Assim, nasceu o grupo Nossa Vibe, há três anos,  que acabou não engrenando. Pouco depois, os cinco integrantes se uniram novamente. Desta  vez, para formar o Pagode Black. A nova banda está na luta  há apenas seis meses, mas já possui contatos quentes no meio artístico e até músicas gravadas.

Na estrada

Se depender dos bons relacionamentos, o grupo tem chances de ir longe. Fabrício Bizoni, tecladista de Dilsinho, é o produtor dos meninos. Por isso, o Pagode Black tem se dividido entre as origens, em Esteio, e o Rio de Janeiro, onde gravaram as faixas Paciente  e Vai ou Fica. 

Além disso, Rafael adianta que vêm por aí parcerias muito especiais: em outubro, está previsto o lançamento da canção Sou teu Nego, com a participação de Júlio (pandeiro e vocais), do grupo Vou pro Sereno.

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Planos ousados

 ESTEIO, RS, BRASIL, 25-08-2019: banda Pagode Black, em fotos para a seção Estrelas da Periferia do Diário Gaúcho (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Variedades).
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Com referências como Sorriso Maroto, Louca Sedução, Ferrugem e Dilsinho, o Pagode Black busca o seu lugar na cena musical. Para isso, Ronei conta que o objetivo é encontrar um estilo próprio:

— Queremos fazer um trabalho autoral forte, gravar cerca de 10 músicas novas por ano e vender um produto diferente, com ideias novas. 

A meta, agora, é reforçar o trabalho autoral da banda, mas sem deixar de se espelhar nos artistas consagrados da atualidade, como garante Rafael:

— A gente pretende fazer mais, tanto dentro quanto fora dos palcos.

MOSTRE O SEU SOM!

— Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

— Para falar com a banda, ligue para 99111-9125.



Pitaco de Quem Entende

O comunicador da 92 (92.1 FM) Martin TJ curtiu o trabalho da banda:

— Pagode Black chegou bem. Boa letra, e a melodia tem um vocal ótimo. Um pagode romântico dos bons. O clipe no YouTube (Paciente) já mostra que estão antenados e olhando lá na frente. Agora,  é baixar a cabeça e trabalhar forte rumo ao sucesso!


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros