Derrube os tabus da primeira vez - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Falando de Sexo04/09/2019 | 17h03Atualizada em 04/09/2019 | 17h03

Derrube os tabus da primeira vez

Cada um sabe das suas prioridades e não existe hora certa para transar

Andrea Alves e Lucia Pesca

Tenho 24 anos e ainda sou virgem. Eu tenho meus ficantes, mas nunca namorei. O que incomoda é a cobrança que as pessoas fazem! Trabalho, estudo à noite e não fico pensando em ter um parceiro. Nem digo que nunca transei, porque as pessoas ficariam chocadas. Mas sempre pensei que é certo transar quando se está namorando. Será que estou errada? Além disso, todo mundo diz que a primeira vez dói, que sangra. Preciso saber!

falando de sexo, novo card.
Foto: Reprodução / Reprodução

Amiga, cada um sabe quais são suas prioridades. Você precisa fazer o que pensa ser o melhor. Estudar e trabalhar é um ótimo caminho. Antigamente, o namoro e, por consequência, o casamento, eram as maiores pretensões na vida de uma mulher. Esta realidade mudou, assim como a exigência em relação à virgindade feminina. 

Hoje, as mulheres são e fazem o que desejarem, ou seja, os papéis delas na sociedade vão muito além dos de esposa e de mãe, podendo ser profissionais de diversas áreas. A dignidade não está mais ligada ao fato de ter ou não experiências sexuais e, muito menos, de permanecer com o hímen (membrana que fecha parcialmente o orifício externo da vagina) intacto. 

Leia outras colunas 

Herança cultural

Mas, mesmo assim, a virgindade ainda é uma herança da nossa cultura, que acaba refletindo na sexualidade da mulher e do homem, gerando medos e insegurança. A primeira transa não precisa doer. Lembre-se de que o hímen não tem terminações nervosas para transmitir a dor. Além disso, a vagina se dilata para receber o pênis. 

O que pode fazer você sentir algum desconforto é a tensão envolvida no momento. Estar certa de sua vontade sexual e se prevenir contra gravidez e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) ajudam muito a não sentir dor e a relaxar.

Quanto ao sangramento, vai depender do tipo de hímen, mas, principalmente, das condições em que acontecer o rompimento dele durante a relação.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros